O município paulista de Mogi Guaçu confirmou nesta segunda-feira (27) a 17ª morte provocada pela nova gripe (H1N1) no estado, aumentando para 39 o número de vítimas fatais da doença no país. A nova vítima foi um homem de 59 anos, que havia sido internado no dia 16 de julho com pneumonia e morreu no domingo, informou a prefeitura local.
Segundo as autoridades de Mogi Guaçu, o paciente havia mantido contato com chilenos e não pertencia ao chamado grupo de risco — gestantes, obesos ou com doenças anteriores ou em tratamento.
O total de mortos pela nova doença no Rio Grande do Sul chegou no domingo a 16 com a confirmação de mais cinco vítimas.A epidemia está vindo da fronteira em direção ao litoral, atingindo também o norte do Estado, afirmou o secretário de Saúde gaúcho, Osmar Terra, segundo nota da secretaria.
Das mortes registradas no Rio Grande do Sul, cinco foram em municípios na fronteira com a Argentina. No estado, 392 pacientes estão internados em hospitais, sendo que 101 deles estão em UTIs, informou a Secretaria Estadual de Saúde.
Passo Fundo, que já havia confirmado três mortes, teve dois novos óbitos, uma gestante de 31 anos, morta no dia 16, e outra gestante, de 25 anos, que morreu no dia 20, informou a secretaria.
Em Uruguaiana, a vítima foi uma mulher diabética de 63 anos e que morreu no dia 18. Foi a quarta morte no município. No município de Caxias do Sul, foi registrada a morte de um homem de 36 anos, que era cardíaco, e morreu no dia 16.
A quinta morte no estado foi confirmada em Montenegro, em um homem de 20 anos, morto no dia 25.Com as novas mortes, o total de vítimas fatais pela gripe H1N1 no Rio Grande do Sul chegou a 16. O Rio de Janeiro teve cinco mortes e o Paraná uma.

print
Comentários