O Brasil registrou no mês de junho a menor inflação em quase dois anos, com desaceleração de 0,36% em maio para 0,08%. Uma das explicações para a diminuição da taxa é a queda dos preços de carros novos, após a redução do IPI.
Os dados, obtidos por meio do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial do país, foram divulgados na sexta-feira (06), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
De acordo com o IBGE, o resultado de junho é o menor desde agosto de 2010, quando foi registrada inflação de 0,04%. Em 12 meses, o IPCA acumula alta de 4,92%, a taxa mais baixa desde setembro de dois anos atrás, que foi de 4,70%.
O que mais pesou sobre a desaceleração do custo de vida em junho foi a variação de preços do grupo de gastos com transporte, que mostrou deflação de 1,18%. Nesta classe, recebe destaque os valores de automóveis novos, que caíram 5,48% em razão do IPI reduzido, desde o dia 21 de maio.
Além disto, conforme o IBGE, o preço dos carros usados registrou queda de 4,12% no mês e o valor dos combustíveis seguiram em baixa, de 0,64% de maio para 0,51%. Também tiveram desaceleração os gastos com habitação, de 0,80% para 0,28%, e de roupas, diminuindo de 0,89% em maio para 0,39%.
Alimentos
Os preços dos alimentos também contribuíram para a queda da inflação do país, caindo de 0,73% para 0,68% em junho. O maior responsável foi o feijão, que em maio tinha subido 9,10% e no mês passado apresentou queda de 1,63%. Outro item considerável é o arroz, passando de 2,11% para 1,01% em junho.
Para o ano de 2012, a meta de inflação definida pelo Banco Central é de 4,5%, com tolerância de dois pontos percentuais para mais (6,5%) ou para menos (2,5%).

Imprimir