Cinco países da América do Sul, França e Canadá anunciaram fechamento de suas fronteiras nesta segunda-feira (16) como medida para conter a disseminação do Covid-19, infecção causada pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2).

O presidente Emmanuel Macron também anunciou a suspensão do segundo turno das eleições locais e endureceu a circulação de pessoas nos espaços públicos em todo o país, fechando todos os parques e jardins da capital. “Nós estamos em guerra”, disse.

O pronunciamento de Macron aconteceu logo após a União Europeia propor a proibição de viagens ‘não essenciais’ entre países do bloco por 30 dias.

Também em pronunciamento nacional, o presidente Donald Trump admitiu que a crise gerada pela pandemia de coronavírus não tem data para acabar e que a economia dos Estados Unidos “pode estar” a caminho de uma recessão.

No Brasil, por outro lado, o presidente Jair Bolsonaro voltou a minimizar a gravidade da pandemia e disse que “está havendo um superdimensionamento”.

Sobre as restrições de circulação de pessoas e as críticas que recebeu após participar de uma manifestação a favor do governo e apertar a mão de diversos apoiadores, Bolsonaro declarou que a “responsabilidade” é dele e que “não pode algumas autoridades começar a proibir isso ou aquilo.”

Segundo o Ministério da Saúde, os casos confirmados de coronavírus cresceram no país: Brasil tem 234 casos confirmados e mais de 2 mil suspeitos de Covid-19 até esta segunda. O vírus está presente em 14 estados e mais no Distrito Federal.

Ainda nesta segunda, a Organização Mundial da Saúde (OMS) informou que a situação permanece grave e que já há registro de morte de crianças por coronavírus. A entidade defendeu testes em larga escala para cada caso suspeito e isolamento como estratégias mais eficazes para conter o vírus.
Destaques desta segunda-feira (16)

• 7.074 mil mortes por coronavírus no mundo; Dessas, 3.271 foram na China
• 170 mil casos confirmados no mundo; 81 mil na China
• OMS diz que há registro de morte de crianças pelo vírus
• Brasil tem ao menos 234 casos da doença
• Bovespa despenca mais de 10% e dólar chega a bater R$4,99
• Roraima pede fechamento de fronteira do estado com a Guiana e a Venezuela
• Estado de Nova Jersey (EUA) e Paraguai impõem toque de recolher; no caso paraguaio, desobediência ao toque resultará em prisão
• A Argentina fechou suas fronteiras
• Itália tem 3.590 casos confirmados; 368 mortes em apenas um dia
• Presidente da Catalunha está com coronavírus
• Mais 1 mil casos na Espanha nas últimas 24h
• Irã registrou 853 mortes desde o início do surto

Restrições no Brasil

Em todo o país, medidas de restrições de circulação de pessoas nas ruas e suspensão de aulas começaram a valer nesta segunda-feira (16).


No Rio de Janeiro, o Corpo de Bombeiros começou a circular com alto-falantes pedindo que a população que evite aglomerações nas praias.

Ainda no Rio, um médico de 65 anos com coronavírus está internado em estado grave. Ele está com o sistema respiratório comprometido e está entubado.

Fechamento de fronteiras

Na América do Sul, Argentina, Chile, Peru, Paraguai e Colômbia fecham suas fronteiras por 15 dias. Somente cidadãos e estrangeiros residentes nesses países poderão entrar nesses territórios durante o período.

No Paraguai, a circulação de pessoas e veículos está restrita das 20h às 4h e a pena para quem não cumprir a determinação é de 12 a 18 meses de prisão ou multa equivalente a R$5,3 mil até R$26 mil.

O Canadá também anunciou fechamento das fronteiras e somente residentes permanentes ou cidadãos poderão entrar no país.

A França suspendeu as viagens por 30 dias. Poderão entrar no país somente franceses que estejam em outros países.

A Alemanha também começou a impor controles nas fronteiras com Áustria, Dinamarca, França, Luxemburgo e Suíça. Apenas trabalhadores que atravessam as fronteiras e motoristas de caminhões de mercadorias estão autorizados a passar.

A Espanha é outro país que começará a controlar suas fronteiras, mas somente as terrestres. Apenas espanhóis, residentes da Espanha, trabalhadores transfronteiriços e diplomatas terão passagem liberada.

Portugal fechou sua fronteira com a Espanha até o dia 15 de abril.

Autoridades infectadas

A governadora de Madri, Isabel Díaz Ayuso, e o presidente da Catalunha, Quim Torra, anunciaram que estão com coronavírus.
Torra disse estar em auto-isolamento em instalações do governo. No domingo (15), o seu vice, Pere Aragonès, também havia anunciado ter se infectado.
Na sexta (13), na capital Madri, o teste da mulher do primeiro-ministro espanhol, Begoña Sánchez, também deu positivo para a doença.

Suspensões e bloqueios

O governador do estado de Nova Jersey, nos Estados Unidos, impôs toque de recolher em toda a região entre às 20h e 5h. Estão autorizados apenas os deslocamentos e viagens essenciais no estado vizinho ao de Nova York.

Em Nevada, vários cassinos e hotéis de Las Vegas fecharão as portas em um esforço para evitar a propagação do novo coronavírus a partir de terça-feira (17).

Na Flórida, o resort de Donald Trump, Mar-a-Lago, ficará fechado para desinfecção, segundo a rede de notícias CNN. A decisão acontece após a confirmação de 11 infectados na comitiva do presidente brasileiro Jair Bolsonaro, que se hospedou no resort.

Nova York restringiu o funcionamento de bares e restaurantes, e fechou casas noturnas, cinemas, teatros e salas de concertos. Los Angeles, na Califórnia, fechou os bares e casas noturnas.
• Coronavírus: por que os EUA estão ‘fracassando’ no combate à Covid-19

Na África, o governo do Marrocos anunciou o fechamento de todos os cafés, restaurantes, cinemas, teatros, clubes, academias e locais de lazer. A medida acompanha o fechamento de escolas, também em vigor a partir de segunda, como prevenção contra a epidemia de Covid-19.
França, Itália e Espanha

Na Itália, país que registrou nas últimas 24 horas ao menos 3.590 casos da doença e 368 mortes, a Ferrari fechou suas duas fábricas. A montadora se junta a uma série de fabricantes que fecharam unidades ou reduziram a produção em resposta à emergência do vírus, ameaçando prejudicar a indústria automotiva da Europa.

A Espanha tem 297 mortes e registrou cerca de 1 mil casos nas últimas 24 horas, o que eleva o total no país a 8.744 infecções confirmadas, informou nesta segunda-feira o coordenador de emergências do ministério da Saúde, Fernando Simón.

A França registrou nas últimas 24 horas mais de 900 novos contágios e 36 mortes, elevando o total a 5.400 infectados e 148 óbitos. Mais de 400 pessoas estão hospitalizadas em estado grave. A situação no país “é muito preocupante e se deteriora rapidamente”, disse o diretor geral de Saúde, Jérôme Salomon, preocupado com uma possível “saturação” dos hospitais.

China tem mais casos importados

Os casos importados na China superaram os contágios internos pelo 3º dia consecutivo: nesta segunda-feira (16), as autoridades de saúde do país anunciaram 12 novos casos vindos do exterior contra apenas quatro casos locais diagnosticados em Wuhan.

Além disso, as mortes por Covid-19 fora da China já ultrapassam as registradas no território chinês, segundo a OMS.

Boa notícia

Um estudo publicado nesta segunda-feira (16) e outro na sexta-feira (13) relatam casos de mães grávidas que pegaram o novo coronavírus em Wuhan, na China, e não passaram a doença para os bebês.

O artigo mais recente, publicado na revista “Frontiers in Pediatrics”, trouxe a análise de quatro mães que estavam infectadas pelo vírus e que deram à luz em um hospital da cidade chinesa.

Já no Brasil, pesquisadores da USP estão desenvolvendo uma vacina contra o novo coronavírus (Sars-Cov-2), o vírus responsável pela doença Covid-19. O modelo é diferente do empregado em projetos por pesquisadores de outros países, e tem perspectiva de testes em animais nos próximos meses.

Famosos com Covid-19

A atriz ucraniana Olga Kurylenko foi diagnosticada com coronavírus. Estrela de filmes como “007 – Quantum of Solace” e “Oblivion”, ela usou as redes sociais para confirmar teste positivo e falar sobre isolamento.

Outro diagnóstico positivo para Covid-19 é o de Lucian Grainge, CEO da Universal Music. Segundo a agência Bloomberg, o executivo de 60 anos foi hospitalizado. O estado de saúde de Grainge não foi informado.

Com a confirmação dos dois casos, Olga e Lucian entram para a lista de famosos que já foram diagnosticados com a doença. Entre elas, o ator Tom Hanks e a mulher, Rita Wilson, os cantores Preta Gil e Di Ferrero e a influencer Gabriela Pugliesi.

Igreja em observação

Um novo foco de infecção do novo coronavírus foi registrado na igreja Grace River de Seongnam, que fica 20 km ao sul de Seul, na Coreia do Sul. Quarenta e seis pessoas, das 135 que participam da congregação, apresentaram resultado positivo para Covid-19, incluindo o pastor e sua mulher.

Esta congregação religiosa seguiu com a celebração de cultos, apesar dos apelos do governo para que a população evitasse qualquer evento público e sobretudo religioso.

Mais de 60% dos quase 8,2 mil casos de Covid-19 no país estão vinculados à Igreja de Jesus Shincheonji, uma organização considerada uma seita por muitas pessoas.

Fonte: G1

Imprimir
Comentários