Os imigrantes que desejam residir legalmente em alguns países da União Europeia precisam cumprir cada vez mais requisitos. Recentemente, os casos da França e Itália ganharam destaque, embora os dois países não sejam os únicos a intensificar o sistema de normas que os imigrantes devem cumprir para obter uma permissão legal de residência. Há alguns anos, a Alemanha, o Reino Unido e a Holanda adotaram planos similares.
No início de fevereiro, o primeiro ministro francês, François Fillon, propôs algumas medidas, como a criação de um novo visto de recente cidadão, o impulso à educação cívica e a instauração de novas normas de integração de estrangeiros para reforçar o conceito de identidade nacional e o cultivo do orgulho de ser francês. O governo francês deve ainda criar uma comissão de personalidades, composta por parlamentares, intelectuais e historiadores, que se encarregará da continuação da aplicação das iniciativas já anunciadas e o planejamento de outras para o futuro.
Na Itália, o governo do primeiro ministro Silvio Berlusconi se dispõe a aprovar um decreto de lei que dará para forma ao projeto do visto de permanência por pontos. Os estrangeiros que quiserem se instalar no país deverão passar por uma bateria de provas, como a do idioma, além de cursos sobre a história, as leis e a realidade da Itália. No plano, há ainda uma lista de deveres a serem cumpridos pelos imigrantes, como a escolarização dos filhos e estar em dia com o pagamento dos impostos. Uma vez superadas todas as provas, os imigrantes recebem os 30 pontos necessários para obter o visto. Além disso, os imigrantes serão avaliados a cada dois anos.

Imprimir
Comentários