No anexo 1 de sua delação premiada, que O Antagonista obteve em primeira mão, o ex-ministro Antonio Palocci revela o esquema de propinas nos contratos de publicidade da Petrobras.

Segundo ele, as empresas de marketing e propaganda contratadas pela gestão de Wilson Santarosa, “destinavam cerca de 3% dos valores dos contratos de publicidade ao PT através dos tesoureiros”.

Santarosa, que comandava a Gerência Executiva de Comunicação Institucional da estatal, era conhecido líder sindical dos petroleiros do PT de Campinas, ligado a “Lula, Luiz Marinho e Jacob Bittar”.

Palocci: “era comum Lula esbravejar sobre assuntos ilícitos que tinham ocorrido por sua decisão”

No Anexo 1 da sua delação, Antonio Palocci diz “que era comum Lula, em ambientes restritos, reclamar e até esbravejar sobre assuntos ilícitos que chegavam a ele e que tinham ocorrido por sua decisão; que a intenção de Lula era clara no sentido de testar os interlocutores sobre seu grau de conhecimento e o impacto de sua negativa”.

Palocci diz que Lula simulava indignação sobre corrupção na Petrobras

Em sua delação premiada, obtida em primeira mão por O Antagonista, o ex-ministro Antonio Palocci também revela um traço singular da personalidade de Lula.

Segundo ele, o então presidente simulava indignação toda vez que uma denúncia de ilícitos lhe chegava aos ouvidos. Ocorre que era crimes autorizados pelo próprio Lula.

Palocci narra que, em fevereiro de 2007, após a reeleição, Lula o chamou no Palácio do Planalto, em ambiente reservado, para perguntar sobre fatos envolvendo Renato Duque e Paulo Roberto Costa.

“Lula indagou ao colaborador se aquilo era verdade, tendo respondido afirmativamente, que então indagou ao colaborador quem era a pessoa responsável pela nomeação dos diretores; que o colaborador afirmou que era o próprio Luiz Inácio Lula da silva.”

 

Fonte: O Antagonista||https://www.oantagonista.com/brasil/exclusivo-palocci-diz-que-pt-ficava-com-3-dos-contratos-de-publicidade-da-petrobras/

print

Comentários