O papa Francisco autorizou a promulgação de decretos que reconhecem o martírio e as virtudes heroicas de dois brasileiros: a leiga Isabella Cristina Mrad Campos e o religioso Roberto Giovanni.

A medida abre caminho para a beatificação dos dois “servos de Deus”, título concedido pela Igreja Católica àqueles cujo processo de canonização foi iniciado oficialmente.

A promulgação dos decretos foi autorizada por papa Francisco nessa terça-feira (27), em reunião com o prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, Marcello Semeraro, e divulgada nesta quarta (28).

Nascida em Barbacena, em 29 de julho de 1962, a mártir Isabel Cristina Mrad Campos foi assassinada em Juiz de Fora, em 1º de setembro de 1982, durante uma tentativa de estupro.

Ela era de uma família católica, tinha vida ativa na Igreja e havia se mudado para Juiz de Fora para se preparar para o vestibular de medicina. Por ser considerada mártir, não será exigido um milagre para torná-la beata.

Já Roberto Giovanni nasceu em Rio Claro (SP), em 16 de março de 1903, e passou a maior parte de sua vida em Casa Branca, também no interior de São Paulo, onde ficou marcado por suas ações sociais, especialmente com pobres e doentes.

Giovanni pertencia à Congregação dos Sagrados Estigmas de Nosso Senhor Jesus Cristo e faleceu em Campinas, em 11 de janeiro de 1994, após uma vida dedicada à solidariedade. Com o reconhecimento de suas virtudes heroicas, ele será beatificado quando for comprovado um milagre por sua intercessão.

Fonte: Estado de Minas

Imprimir
Comentários