Diversas reuniões estão sendo promovidas para debater ações de prevenção e combate à nova gripe em Formiga. Nesta quinta-feira (20) foi a vez dos padres e pastores das igrejas de Formiga participaram de uma palestra na Secretaria Municipal de Saúde. Segundo a secretária da pasta, Luiza Flora de Oliveira, em razão de a gripe estar se alastrando pelo país, a sociedade deve ficar ciente e tomar as devidas providências, que se baseiam na higienização das mãos, no contato com outras pessoas, observação do ambiente onde estão, dentre outras medidas.
Na ocasião, a secretária também relatou sobre o remédio Tamiflu. ?O remédio serve para combater qualquer tipo de vírus. Na verdade, ele está presente há muito tempo no mercado, mas ele está tendo mais ênfase por causa da gripe?, afirma. Uma cartela com dez comprimidos do Tamiflu varia no preço de R$160, segundo a secretária.
Segundo informou Luiza Flora, os eventos marcados para este final de semana, não serão adiados, mas nas igrejas os fiéis devem ser comunicados sobre os procedimentos de prevenção contra a nova gripe.
De acordo com o padre da paróquia São Vicente Férrer, José Luiz, medidas contra a gripe já foram providenciadas entre o pessoal que trabalha na secretaria paroquial, sacristãos, ministros. ?Os responsáveis por ajudar a igreja foram orientados com relação aos procedimentos que serão trabalhados durante as cerimônias?, afirma o padre. Alguns eventos já foram suspensos, inclusive o Cerco de Jericó. ?Com relação aos avisos, a paróquia irá utilizar o telão, procurando orientar os fiéis?, afirma. Além disso, serão entregues folhetos destinados pela Secretaria Municipal de Saúde.
De acordo com a coordenadora de Epidemologia, Juliana Silva Castro, a reunião teve como objetivo conscientizar os padres e pastores da cidade com relação aos riscos causados pela nova gripe. ?A pessoa pode conter o vírus, mas não quer dizer que ela irá manifestá-lo?, ressalta.
Conforme a coordenadora, o álcool em gel é adequado para uso, mas o preço dele não é tão acessível para muitos consumidores e o sabão em barra não é correto neste caso. Ainda segunda Juliana Castro, não será necessário o uso de máscaras e luvas nos variados locais.

print
Comentários