Os vereadores de Oliveira não votaram o projeto que prevê redução do salário de R$ 3.400 para um salário mínimo, pela segunda vez neste mês.

O Legislativo havia proposto um aumento no valor, mas moradores fizeram um abaixo-assinado para mudar o projeto.

O plenário da Câmara Municipal desta segunda-feira (15) ficou lotado de moradores que aguardavam pela votação da pauta. Os vereadores informaram que o projeto não entraria em pauta por conta de um regimento interno, que prevê um prazo de sete dias após pedidos de vista.

A votação pode ocorrer na próxima segunda-feira (22), quando vencerá o período. “A votação também pode não ocorrer, pois há vereadores querendo fazer emendas”, disse o vice-presidente da Câmara, Juninho Baleia.

Cristiane Ferreira, organizadora do movimento que pede urgência na votação, destaca que os vereadores estão querendo ganhar tempo. “Eles querem enfraquecer o movimento e assim votar no projeto quando for mais favorável a eles”, disse. Desde quinta-feira (11) a matéria está com pedido de vistas da mesa diretora. Alguns moradores vaiaram os vereadores por terem adiado a votação.

Na primeira reunião do ano, no dia 1º de fevereiro, o projeto foi colocado em pauta com um pedido de urgência alterando o salário dos parlamentares de R$ 3.400 para R$ 5.064,45.

Contudo, o projeto não foi votado. Insatisfeita com o possível reajuste, a população se mobilizou e reuniu mais de 2.500 assinaturas, na tentativa de criar uma emenda, pedindo a redução do salário dos vereadores para R$ 1.200.

Entretanto, na reunião seguinte, que ocorreu no 11 de fevereiro, uma nova proposta salarial foi apresentada pelo presidente da Câmara, Venício dos Santos, propondo uma remuneração inferior a R$ 1.200 para os vereadores.

Doze dos 13 vereadores assinaram o projeto de lei que propõe o reajuste salarial deles para um salário mínimo a partir da próxima legislatura. O projeto também sugere que os salários do prefeito, vice-prefeito e secretários sejam reduzidos em 50%, “Hora nenhuma falamos em redução de salários do Executivo. Nosso movimento foi realizado para baixar salários dos vereadores, apenas”, finalizou Cristiane.

 

Fonte: G1||

Imprimir

Comentários