Não tem como desassociar a reta final do América na Série B do Campeonato Brasileiro da história da vaca que deu 40 litros de leite e depois chutou o balde. Tirar o mérito da grande recuperação, pois o time saiu da lanterna para brigar pelo acesso, não é correto. Mas está longe de ser um caminho não reconhecer como fracasso a derrota de 2 a 1 para o já rebaixado São Bento, no sábado (30), no Independência, quando um empate era suficiente para se assegurar presença na elite no ano que vem.

Até porque, o desastroso resultado influencia diretamente nas finanças do clubes, provocando uma queda significativa no orçamento do futebol americano para a temporada 2020.

Em entrevista ao programa Bastidores, da Rádio Itatiaia, em 15 de novembro, o presidente Marcus Salum, que é o responsável por comandar o futebol do Coelho, revelou que o orçamento de 2020, em caso de disputa da Série A, seria de pelo menos R$60 milhões, podendo até chegar a R$70 ou R$80 milhões.

A derrota para o São Bento fez o América ter de encarar a próxima temporada com uma realidade parecida com a atual, e com cerca de R$30 milhões para bancar o seu futebol.

Diferença

Isso se deve à diferença nas cotas de televisão. Na Série B, o Coelho recebe cerca de R$7 milhões, valor padrão para os 20 participantes da competição, pois não há mais cota diferenciada para os clubes da Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro.

Se tivesse alcançado o acesso, o América receberia pouco menos de R$40 milhões apenas da TV fechada. Ainda haveria o pay-per-view e a premiação pela colocação final, que segundo Salum, na mesma entrevista, deve passar a contemplar os 20 clubes da Série A.

Este ano, apenas do 1º ao 16º colocados recebem premiação.

Negociações

A boa campanha na Série B valorizou alguns jovens americanos e eles devem despertar o interesse de muitos jogadores na janela de transferências que tem seu maior momento a partir da semana que vem.

E Isso pode ajudar no cofre do clube, que sofre um baque sem o acesso à Série A do Campeonato Brasileiro.

Um deles, o meia-atacante Matheusinho, já faz parte dos planos do Athletico-PR. Ainda envolvido na reta final da Série A, o Furacão, que faturou alto com premiações nesta temporada, pois conquistou a Copa do Brasil e está no G-6 do Brasileirão, terá, com certeza, bom poder de compra.

Os outros dois jovens valores americanos que se valorizaram nesta Série B foram os volantes Zé Ricardo e Flávio. O primeiro já está há mais tempo na equipe principal. O segundo ainda tem idade para jogar no sub-20, foi promovido este ano e com certeza é uma das boas revelações do futebol mineiro em 2020.

Após curtir um domingo (1) de ressaca, o América começa nesta segunda-feira (2) a pensar de forma mais forte no 2020 com cara de 2019.

Imprimir

Fonte:

Hoje em Dia