As pessoas que seguem dietas de restrição ao carboidrato (chamadas de low carb) e maior ingestão de carnes, ovos e derivados do leite podem estar colocando em risco a própria longevidade. Um estudo feito por pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e de uma instituição australiana concluiu que proteína em excesso pode acelerar envelhecimento do indivíduo.

A pesquisa foi feita durante cinco anos pela professora Viviane Alves, do Departamento de Microbiologia do Instituto de Ciências Biológicas (ICB) da UFMG. A pesquisadora analisou os efeitos do excesso protéico no organismo dos vermes Caenorhabditis elegans. Os resultados foram comparados aos estudos de células humanas, na Austrália, e de drosófilas, na Inglaterra, pelo Instituto de Pesquisas Médicas Sahmri.

Verificou-se que, nos três organismos, o excesso de proteínas provocou um envelhecimento precoce. Os resultados foram divulgados pela revista científica australiana Current Biology.

“Quando se come muita proteína, o metabolismo aumenta muito e o organismo tem uma maior chance de errar na forma de utilizar os aminoácidos da proteína. Isso induz a formação de defeitos nas células”, afirma a professora.

O consumo excessivo de proteína pode ocasionar Alzheimer, diabetes e cardiopatia. Mas isso não quer dizer que as pessoas tenham de deixar de ingerir proteínas. A recomendação da pesquisadora é que os alimentos ricos em proteínas (seja de origem animal ou vegetal) devem continuar presentes na alimentação, mas sem excesso.

Procure um nutricionista

O resultado dessa pesquisa é uma boa mostra da importância de se consultar com um nutricionista antes de começar uma dieta low carb. É este profissional quem vai indicar quais são as melhores opções na restrição ao carboidrato, de acordo com a coordenadora do curso de Nutrição da Faculdade Kennedy, Natália Teixeira.

“Quando o indivíduo substitui o carboidrato por proteínas de origem animal, especialmente aquelas associadas à gordura saturada, pode ter um efeito negativo. O nutricionista poderá indicar as escolhas mais saudáveis na escolha de proteínas, como os peixes. Ele também poderá indicar as proteínas de origem vegetal, como as leguminosas. Além do tradicional feijão, é muito saudável comer a lentilha, o grão de bico e a ervilha”, explica Natália.

Segundo ela, quem busca uma dieta low carb também deve sempre buscar as opções mais saudáveis de gordura, como o abacate e o azeite de oliva. “O nutricionista também vai indicar alimentos com antioxidantes, para evitar o envelhecimento precoce”, completa.

 

Fonte: Hoje em Dia ||

Imprimir

Comentários