Alimentos industrializados, como sopas instantâneas, pizzas prontas congeladas, salgadinhos, temperos industrializados e embutidos, como salame, além do excesso de sal na comida, contém excesso de sódio, o que não faz nada bem para a saúde.
Uma pesquisa realizada pela Universidade de São Paulo (USP), em 2009, revelou que o brasileiro consome cerca de 13 gramas de sal diariamente. Essa quantidade está muito acima do indicado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que é de no máximo 6 gramas para o adulto, ou uma colher de chá.
De acordo com os pesquisadores da USP, para adequar o consumo ao longo da vida, o ideal é reduzir o sódio já na infância – o que não tem acontecido com os brasileiros, especialmente pelo excesso de sal e gordura presente nos lanches direcionados às crianças. O sal em excesso retém líquido, afeta os rins e leva ao aumento da pressão arterial e, consequentemente, à hipertensão. Este mal é responsável por grande parte dos casos de infarto do miocárdio e acidente vascular cerebral.
Além desses fatores, na fase adulta o sedentarismo, o estresse, o tabagismo, o envelhecimento, o excesso de peso e fatores genéticos também contribuem para estas doenças. O ideal é manter uma dieta saudável, rica em frutas e vegetais e pobre em gorduras. Manter o saleiro à mesa também pode ser um dos vilões, pois instiga a vontade de adicionar o tempero à comida.

Imprimir
Comentários