A Petrobras e a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) inauguram nesta terça-feira (1º) dois laboratórios que têm o objetivo de ampliar a infraestrutura do país para ensaios de desenvolvimento de combustíveis associados a análises de suas propriedades e combustão. Com investimentos de R$ 5 milhões, o Laboratório de Ensaio de Motores e Veículos para Desenvolvimento de Combustíveis e o Laboratório de Análise e Modelagem de Combustíveis e Combustão fazem parte da Rede de Desenvolvimento Veicular e da Rede de Fluidodinâmica Computacional em Processos de Refino, respectivamente.
Essa infraestrutura permite integrar, de forma inédita no Brasil, estudos avançados para correlação de propriedades físico-químicas, levantamento de parâmetros de combustão e desempenho de combustíveis em motores e veículos. O principal benefício desses laboratórios é a viabilização em menor tempo do desenvolvimento de novas formulações de combustíveis, incluindo suas interações com os biocombustíveis, através da realização de estudos avançados para redução de consumo e das emissões de gases poluentes, bem como o aumento de desempenho em motores e veículos.
Infraestrutura
No Laboratório de Motores e Veículos foi realizada a atualização do dinamômetro de chassis, instalação de um dinamômetro para motores do ciclo Otto e de um dinamômetro para motores do ciclo Diesel. Também foi adquirido um equipamento para medição de emissões on-board e um equipamento para medição de pressão de combustão em motores, totalizando um investimento de R$ 4,5 milhões.
Já no Laboratório de Combustão, com um investimento de R$ 500 mil, foram instalados um queimador planar e tubo de choque de seção circular para pesquisas de velocidade de chama atraso de ignição, cinética química, entre outros parâmetros de combustão, além de equipamentos para caracterização de propriedades físico-químicas de combustíveis. Também foi instalada uma câmara de spray de alta pressão para estudo de atomização de combustíveis. Os estudos de atomização e combustão serão auxiliados por equipamentos sofisticados de visualização e filmagem por laser, pacotes computacionais nas áreas de dinâmica dos fluidos, combustão e simulação de motores, além de recursos computacionais avançados.
Redes Temáticas
O modelo das Redes Temáticas foi criado pela Petrobras em 2006, voltado para o relacionamento com as universidades e institutos de pesquisas brasileiros. Hoje já há 50 redes operando em parceria com mais de 100 universidades e instituições de pesquisas de todo o Brasil. Nas redes, as instituições desenvolvem pesquisas em temas estratégicos para o negócio da Petrobras e para a indústria brasileira de energia. A Petrobras vem investindo cerca de R$ 460 milhões anuais, em média, possibilitando às instituições conveniadas a implantação de infraestrutura, aquisição de modernos equipamentos, criação de laboratórios de padrão mundial de excelência, capacitação de pesquisadores/recursos humanos e desenvolvimento de projetos de Pesquisa & Desenvolvimento nas áreas de interesse, como petróleo e gás, biocombustíveis e preservação ambiental.

Imprimir
Comentários