A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta terça-feira (8) a Operação Perfído que tem o objetivo de combater fraudes nos processos de aquisição de armas de fogo perante a Delegacia de Polícia Federal em Divinópolis, no Centro-Oeste de Minas Gerais. 

“A investigação teve início após a descoberta de documentos falsos apresentados em referidos processos para justificar a atividade lícita dos requerentes, no intuito de atender a um dos requisitos legais para aquisição de armas de fogo. A Lei 10.826/03 estabelece como requisito para a aquisição de arma de fogo a apresentação de documento comprobatório de ocupação lícita (artigo 4º, inciso II). Para cumprir com esse requisito, alguns requerentes apresentavam diversas notas fiscais, que, na verdade, simulavam operações de compra e venda de mercadoria ou prestação de serviço que não aconteceram”, informou a PF

Segundo a polícia, essas inconsistências foram encontradas por várias vezes em processos apresentados por despachantes que atuam na formalização de processos protocolados na PF de Divinópolis para obtenção de autorização para a compra de arma de fogo. 

São cumpridos oito mandados de busca e apreensão em endereços de despachantes, em um escritório onde funciona um estande de tiro e em uma contadora que teria emitido parte das notas fiscais. São cumpridos dois mandados em Nova Serrana e seis em Divinópolis. Os investigados vão responder por falsidade ideológica e uso de documentos falsos. Se forem condenados podem pegar até 5 anos de prisão.

Fonte: O Tempo

Imprimir
Comentários