A Polícia Federal realizou, na sexta-feira (26), uma operação em Ipatinga e Governador Valadares, no Vale do Aço em Minas Gerais, para cumprir um mandado de busca e apreensão e quatro de suspensão de atividade econômica, sendo três em Ipatinga.

 Apelidada de “Papel em Branco”, a ação ocorre no âmbito de investigações da prática de crimes de falsidade ideológica na formulação de laudos psicológicos para aquisição, porte, renovação e registro de arma de fogo, ligados à atuação de vigilantes nas cidades. 

Em 2019, um inquérito foi instaurado após uma psicóloga ter sido presa em flagrante pela Polícia Militar em Ipatinga, quando emitia um laudo ideologicamente falso a um homem que desejava comprar uma arma de fogo. Apesar de ter sido descredenciada pela Polícia Federal no início daquele ano, a mulher continuava realizando testes usando, para isso, folhas em branco assinadas por outra psicóloga.

De acordo com a PF, foi descoberta a emissão de cerca de 75 laudos do tipo, sempre realizados pela psicóloga descredenciada, usando folhas assinadas por outra especialista.

Além das duas psicólogas, a Polícia investiga a responsável pela empresa para quem as mulheres trabalhavam. Elas podem responder pelo crime de associação criminosa e, se condenadas, receberem penas de até 10 anos de prisão e multa. Na manhã de sexta-feira, foi cumprida busca na sede da empresa, além de serem expedidas ordens de suspensão de atividade contra as psicólogas, a empresária e o grupo empresarial.  

Fonte: O Tempo

print
Comentários