O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), revelou que podem haver mais cortes no orçamento do Estado diante do quadro econômico e de dificuldades de arrecadação enfrentado pela administração. Questionado sobre possíveis novos cortes ou mesmo uma segunda reforma administrativa a ser encaminhada para a Assembleia, ele sinalizou que pretende aguardar antes de encaminhar a questão ao Parlamento mineiro. “Pode ser que a gente mande projetos relacionados com a estrutura administrativa do Estado, com algum tipo de corte”, revelou.

Em seguida, o governador acabou recuando sobre a própria fala. “Eu não diria corte, eu diria algum tipo de moderação de despesas. Talvez seja necessário, mas, como isso não está definido, eu prefiro reservar para o momento em que a coisa estiver mais avançada”, justificou.

A declaração foi dada após o evento Conexão Empresarial, realizada na tarde desta quinta em Nova Lima, na região metropolitana da capital, com a presença de empresários e lideranças políticas do Estado. 

No início do mês, o secretário de Planejamento e Gestão, Helvécio Magalhães, já havia sinalizado para movimentações neste sentido. Segundo ele, o governo de Minas não irá conceder mais reajustes nem nomear concursados ou comissionados neste ano, pois os recursos do Estado estariam esgotados.

Soluções. O presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Adalclever Lopes (PMDB), foi o principal orador do Conexão Empresarial. Ele destacou que Casa está aberta para as reivindicações dos empresários, que seriam fundamentais para superar a crise, destacando a importância do trabalho e da criatividade dos empreendedores.

Fonte: O Tempo

print
Comentários