A Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais publicou, na noite dessa quarta-feira (25), o Plano de Contingência para a vacinação contra a Covid-19 no Estado. Segundo o documento, o processo será dividido em três fases: pré-campanha, campanha e pós-campanha, e já foi iniciado.

Durante a primeira fase, a chamada pré-campanha, o foco do governo de Minas é acompanhar a evolução das pesquisas e estudos clínicos acerca do coronavírus, ampliar o capital humano e estruturar os municípios para receber as doses do imunizantes. 

Para isso, haverá a locação de containers para alocar os insumos, como seringas, agulhas e refletores. Um treinamento de capacitação para os funcionários das Redes de Frio Estadual será feito virtualmente.

Além disso, há quatro caminhões refrigerados e um furgão para o transporte das vacinas no nível central. A estratégia de vacinação “drive thru” deverá ser mantida para evitar aglomerações, com liberação de recurso para compra de outros materiais.

Haverá, também, a implementação de 14 Centros de Referência em Imunobiológicos Especiais Regionais e Vigilância de Eventos Adversos Pós-Vacinação no território mineiro. 

A segunda fase, a campanha, contará com a divulgação das informações sobre a vacina e estabelecimento de diretrizes estaduais conforme recomendações do Programa Nacional de Imunizações (PNI).

A plano indica que semanalmente ocorrerá a elaboração de um Informe Epidemiológico com o número de doses recebidas, distribuídas, administradas e a cobertura vacinal no Estado. É nesta fase que o cronograma de envio de vacinas para as Unidades Regionais de Saúde (URS) será criado.

Conforme o documento, começará, também, o acompanhamento periódico de coberturas vacinais por grupos elegíveis para vacinação, além do monitoramento e investigação de eventos adversos pós imunização.

A terceira e última fase representa a realização de Monitoramento Rápido de Coberturas Vacinais (MRC) e o balanço e apresentação das atividades realizadas. Neste momento, o Estado localizará as pessoas que ainda não foram vacinadas e incentivará a imunização conforme as indicações do Calendário Nacional de Vacinação, incluindo contra a Covid-19.

Pelo fato de não haver uma vacina pronta no mercado – os estudos mais avançados se encontram em fase clínica III -, a primeira versão do documento informa que o planejamento será focado principalmente na pré-campanha, “preparando o sistema de saúde para uma das maiores ações de vacinação do país”. 

Compra de seringas

Segundo a SES, o governo de Minas já adquiriu 50 milhões de seringas agulhadas para vacinação contra a Covid-19. Na primeira etapa, foram investidos mais de R$ 35 milhões para a compra dos insumos. A previsão é de que todos os itens sejam entregues até o final deste ano.

Ações e estrutura

A estruturação da Central Estadual da Rede de Frio – que assegura que todos os imunobiológicos mantenham suas características, desde o laboratório produtor até o momento da utilização – também já está em execução, conforme a secretaria. Foram adquiridas 705 câmaras refrigeradas para serem doadas aos municípios e regionais de saúde, um investimento de R$ 4 milhões.

Matéria do Hoje em Dia

Imprimir
Comentários