O 2º Pelotão PM de Meio Ambiente, da 7ª Cia PM de Meio Ambiente, intensificou as fiscalizações das atividades pesqueiras durante a Piracema 2018/2019.  Na quinta e sexta-feira (24 e 25), as equipes executaram a Operação de Combate a Pesca Predatória I – 2019, na Bacia do Rio Grande, Represa de Furnas e Rio São Francisco. A ação foi realizada com o objetivo de prevenir e reprimir as infrações e crimes ambientais relacionados à pesca.

Os esforços operacionais foram direcionados para a fiscalização do pescado, declaração de estoque, comércio de pescado e apetrechos, transporte e orientações quanto às restrições e autorizações de pesca durante a Piracema, delimitados pelas Portarias do Instituto Estadual de Florestas (IEF) 154 e 156/2011, que normatizam o Período de Defeso nas bacias hidrográficas localizadas no setor do pelotão.

Durante a execução da operação foram obtidos os seguintes resultados:

Dois homens foram presos, quatro Boletins de Ocorrência lavrados, 41 atividades desencadeadas, cinco Autos de Infração redigidos, multas aplicadas no total de R$54.975,70, um termo de embarco, quatro termos de depósito, dois termos de doação.

Foram fiscalizadas 43 propriedades rurais e 41 locais de pesca, 136 pescadores amadores e 23 pescadores profissionais, 16 comércios de pescado fiscalizados e 70 veículos, além de fiscalização em 23 embarcações.

Foram apreendidos: um veículo, uma embarcação, um motor de popa, 2278 redes de pesca (metro linear) e 60 redes de pesca (unidade), três caniços, três anzóis, 144 quilos de pescado e uma arma branca.

O pescado apreendido que estava em condições de consumo, após laudo pericial, foi doado para instituições filantrópicas e educacionais.

A Polícia Militar, por meio do Policiamento de Meio Ambiente, conta com o apoio da população para denunciar crimes ambientais nos municípios da região e, na identificação de suspeitos, repassando as informações para o 2º Pelotão PM de Meio Ambiente, ou através do Disque Denúncia 181.

Mais informações podem ser obtidas pelo (37) 3322-1454.

 

Imprimir

Fonte:

Polícia de Meio Ambiente