Polícia Civil apresenta suspeitos de assalto à loja de celulares

Além da ação em Formiga, há registro de que os suspeitos agiam nas cidades da região de Oliveira, Cláudio, Itaúna e Pará de Minas; sempre usando de violência contra as vítimas

Além da ação em Formiga, há registro de que os suspeitos agiam nas cidades da região de Oliveira, Cláudio, Itaúna e Pará de Minas; sempre usando de violência contra as vítimas

O delegado de Crimes Contra o Patrimônio, Danilo César Basílio de Souza e o delegado regional Irineu José Coelho Filho, apresentaram, durante coletiva de imprensa realizada na tarde dessa terça-feira (26), dois suspeitos de assaltarem no dia 20 de março, uma loja de celulares no centro da cidade, causando um prejuízo de aproximadamente R$16 mil.
Segundo o delegado Danilo César, além da ação em Formiga, há registro de que os suspeitos agiam em cidades da região como: Oliveira, Cláudio, Itaúna e Pará de Minas; sempre usando de violência contra as vítimas, amarrando-as e vez por outra, trancando-as no banheiro.
A princípio, a Polícia Civil deduziu que não se tratavam de suspeitos residentes na cidade de Formiga, pois em nenhum momento eles se preocuparam em serem identificados, realizando os crimes de ?cara limpa?. Os dois indivíduos compõem uma associação criminosa, composta por pelo menos cinco criminosos, que utiliza de rodízio entre eles para cometerem os assaltos. Sempre em número de dois, o líder A.M.O., que foi um dos presos pela polícia e mais um integrante do grupo.
Para o delegado regional, Irineu José, as quadrilhas estão migrando da capital para o interior, supostamente por acreditarem que encontrarão maior facilidade para cometer as ações criminosas, o que é um grande equívoco por parte dos criminosos. ?Geralmente, eles alugam casas ou fazem um levantamento prévio das cidades e depois praticam os crimes?, comentou Irineu.
A Polícia Civil de Formiga, conforme informação do delegado Danilo César, já estava de posse de um mandado de prisão contra os suspeitos A.M.O de 31 anos e F.C.L de 20, quando eles cometerem um assalto na cidade de Carmópolis de Minas e foram pegos em atitude suspeita em Belo Horizonte no último dia 8 de maio. A polícia da capital, ao averiguar o veículo em que se encontravam, encontrou as mercadorias fruto do assalto em Carmópolis de Minas. Diante das informações, a polícia verificou que se tratava dos mesmos suspeitos do assalto em Formiga.
Os indivíduos também foram reconhecidos por uma vítima, assaltada em sua residência no bairro Bela Vista, onde os suspeitos usaram de tortura psicológica (roleta russa) e também física (batiam com uma faca no peito da vítima e lhe desferiam socos e chutes), causando-lhes alguns ferimentos. Do assalto à residência foram levadas joias e uma arma de fogo.
Os dois envolvidos presos já possuem passagem pela polícia por crimes contra o patrimônio e serão transferidos para a Penitenciária de São Joaquim de Bicas, na região metropolitana de Belo Horizonte.
Os suspeitos de receptação das mercadorias estão sendo investigados.

Imprimir
Comentários

Sobre o Autor

André Ribeiro

Designer do portal Últimas Notícias, especializado em ricas experiências de interação para a web. Tecnófilo por natureza e apaixonado por design gráfico. É graduado em Bacharelado em Sistemas de Informação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

Polícia Civil apresenta suspeitos de assalto à loja de celulares

Além da ação em Formiga, há registro de que os suspeitos agiam nas cidades da região de Oliveira, Cláudio, Itaúna e Pará de Minas; sempre usando de violência contra as vítimas.

Além da ação em Formiga, há registro de que os suspeitos agiam nas cidades da região de Oliveira, Cláudio, Itaúna e Pará de Minas; sempre usando de violência contra as vítimas.

O delegado de Crimes Contra o Patrimônio, Danilo César Basílio de Souza e o delegado regional Irineu José Coelho Filho, apresentaram, durante coletiva de imprensa realizada na tarde dessa terça-feira (26), dois suspeitos de assaltarem no dia 20 de março, uma loja de celulares no centro da cidade, causando um prejuízo de aproximadamente R$16 mil.

Segundo o delegado Danilo César, além da ação em Formiga, há registro de que os suspeitos agiam em cidades da região como: Oliveira, Cláudio, Itaúna e Pará de Minas; sempre usando de violência contra as vítimas, amarrando-as e vez por outra, trancando-as no banheiro.

A princípio, a Polícia Civil deduziu que não se tratavam de suspeitos residentes na cidade de Formiga, pois em nenhum momento eles se preocuparam em serem identificados, realizando os crimes de “cara limpa”. Os dois indivíduos compõem uma associação criminosa, composta por pelo menos cinco criminosos, que utiliza de rodízio entre eles para cometerem os assaltos. Sempre em número de dois, o líder A.M.O., que foi um dos presos pela polícia e mais um integrante do grupo.

Para o delegado regional, Irineu José, as quadrilhas estão migrando da capital para o interior, supostamente por acreditarem que encontrarão maior facilidade para cometer as ações criminosas, o que é um grande equívoco por parte dos criminosos. “Geralmente, eles alugam casas ou fazem um levantamento prévio das cidades e depois praticam os crimes”, comentou Irineu.

A Polícia Civil de Formiga, conforme informação do delegado Danilo César, já estava de posse de um mandado de prisão contra os suspeitos A.M.O de 31 anos e F.C.L de 20, quando eles cometerem um assalto na cidade de Carmópolis de Minas e foram pegos em atitude suspeita em Belo Horizonte no último dia 8 de maio. A polícia da capital, ao averiguar o veículo em que se encontravam, encontrou as mercadorias fruto do assalto em Carmópolis de Minas. Diante das informações, a polícia verificou que se tratava dos mesmos suspeitos do assalto em Formiga.

Os indivíduos também foram reconhecidos por uma vítima, assaltada em sua residência no bairro Bela Vista, onde os suspeitos usaram de tortura psicológica (roleta russa) e também física (batiam com uma faca no peito da vítima e lhe desferiam socos e chutes), causando-lhes alguns ferimentos. Do assalto à residência foram levadas joias e uma arma de fogo.

Os dois envolvidos presos já possuem passagem pela polícia por crimes contra o patrimônio e serão transferidos para a Penitenciária de São Joaquim de Bicas, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Os suspeitos de receptação das mercadorias estão sendo investigados.

Glaudson Rodrigues

Comentários

Sobre o Autor

André Ribeiro

Designer do portal Últimas Notícias, especializado em ricas experiências de interação para a web. Tecnófilo por natureza e apaixonado por design gráfico. É graduado em Bacharelado em Sistemas de Informação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!