Representantes da empresa, engenheiros e técnicos serão interrogados pelos investigadores. Família enterra vítima em cemitério de Divinópolis; duas pessoas seguem internadas.

A Polícia Civil abriu inquérito para apurar as causas da explosão em uma siderúrgica na BR-494, em Divinópolis, que resultou na morte de um homem de 33 anos. Outras duas vítimas seguem internadas, sendo uma em estado grave e outra foi transferida para um hospital particular. A identidade de ambos não foi divulgada.

Representantes da empresa, engenheiros de segurança e técnicos serão ouvidos pelos investigadores em Divinópolis, assim como testemunhas que estavam no momento do fato.

A explosão foi na manhã de sexta-feira (27) e conforme testemunhas contaram para o Corpo de Bombeiros, o silo de armazenagem – poeira de carvão – teve um superaquecimento, gerando uma pequena explosão que rapidamente se propagou para outras áreas da empresa.

Representantes da empresa, engenheiros e técnicos serão interrogados pelos investigadores. Família enterra vítima em cemitério de Divinópolis; duas pessoas seguem internadas.

Trabalhos da perícia foram feitos no dia do acidente e também no sábado.

G1 procurou a siderúrgica para posicionamento, mas ainda não obteve retorno.

Vítima fatal

Segundo informou a Polícia Civil, a vítima que morreu na explosão é Cicero Vilanova da Silva Oliveira, 33 anos. O corpo foi encaminhado na tarde de sábado para o Instituto Médico Legal, em Belo Horizonte, e passou por necropsia.

O velório ocorre neste domingo (29) no Serviço Municipal do Luto, em Divinópolis, e o enterro será no Cemitério Parque Divino Espírito Santo.

Explosão

A explosão em uma siderúrgica na BR-494 em Divinópolis foi registrada na manhã de sexta-feira. Três pessoas foram levadas para o Complexo de Saúde São João de Deus (CSSJD). Mais tarde, duas foram transferidas para o Hospital João XXIII em Belo Horizonte. Um homem morreu e outro segue internado.

A terceira vítima, que teve queimadura ocular, preferiu dar andamento ao tratamento em uma unidade particular, conforme a assessoria.

Os bombeiros disseram que funcionários que atuavam no local relataram que o silo de armazenagem – poeira de carvão – teve um superaquecimento, gerando uma pequena explosão que rapidamente se propagou para outras áreas da empresa.

Foi relatado ainda que a substância conhecida como “munha”, ao entrar em contato com o oxigênio, gerou a explosão. Contudo, a causa do acidente será avaliada pela perícia da Polícia Civil.

G1 tentou contato com os advogados da siderúrgica, no entanto não houve retorno até a última atualização desta matéria.

O combate ao incêndio durou cerca de quatro horas e teve a participação de cerca de 17 militares, que utilizaram uma mangueira de um caminhão bomba para conter o fogo.

 

Fonte: Matéria do G1||https://g1.globo.com/mg/centro-oeste/noticia/2019/12/29/policia-civil-comeca-investigar-explosao-com-morte-em-siderurgica-de-divinopolis.ghtml
Imprimir
Comentários