Polícia Civil de Divinópolis prendeu três pessoas em cumprimento de mandado nesta quinta-feira (21). Uma delas é apontada como chefe de quadrilha envolvida em explosão de caixas eletrônicos na região e é um dos mais procurados do estado. As outras duas aplicavam golpes em Divinópolis e cidades da região.

O suspeito foi preso em Contagem durante a Operação “Fumaça”, que recebeu este nome devido ao apelido de Guilherme Nostradamus, de 26 anos, que já foi preso outras vezes com armas e drogas, além de ser apontado como autor de diversas explosões em caixas eletrônicos em várias cidades.

“Ele já estava sendo investigado há pelo menos um ano e tinha dois mandados de prisão expedidos. Ele é conhecido como um dos maiores explodidores de caixas eletrônicos da região Centro-Oeste. Neste tempo que esteve foragido, ele passou pelo estado do Paraná e também por Uberlândia. Nosso setor de Inteligência identificou onde ele estaria escondido e conseguimos localizá-lo e apreender diversas roupas falsificadas e cerca de € 145 e vários dólares, além de uma identidade falsa usada se esquivar das abordagens policiais”, revelou o delegado responsável pelo caso, Wesley Castro.

O delegado informou ainda que o suspeito e a amásia estavam vendendo as roupas falsificadas e que os euros e dólares são provenientes de assaltos.

Estelionato

Uma mulher de 35 e uma jovem de 19 também foram presas pela Polícia Civil. As suspeitas são de Belo Horizonte, mas foram presas em Divinópolis. O material apreendido foi encontrado na capital mineira. “A investigação começou em setembro, quando fizemos a prisão de três autores praticando golpes no comércio local. Durante as investigações, identificamos a verdadeira identidade delas e a residência. Com o mandado de busca e apreensão, cumprido em Belo Horizonte, encontramos diversos materiais como televisores, smartfones, roupas, além de vários documentos falsos. Elas agiam em Divinópolis, Itaúna e cidades da região”, informou a delegada Adriene Lopes.

Dois veículos, diversas roupas falsificadas, televisores, moedas nacionais e estrangeiras, utensílios domésticos foram apreendidos. Os três suspeitos foram apresentados à imprensa na tarde desta quinta-feira (21) e posteriormente foram levados para o presídio Floramar, em Divinópolis.

Parte do material apreendido pela Polícia Civil (Foto: Reprodução/TV Integração)

 

Fonte: G1 ||

Imprimir

Comentários