A Polícia Civil concluiu, nessa segunda-feira (28) o inquérito policial que investigou um homicídio cometido no dia 2 de novembro deste ano, no interior da unidade prisional em Formiga.

A vítima, um detento de 37 anos, foi enforcada até a morte dentro de uma cela. O suspeito, de 27 e também preso, foi indiciado pelo crime de homicídio qualificado e fraude processual.

Segundo os relatos, quando policiais penais realizavam a troca de presos que desempenham o trabalho de celas livres, um dos detentos informou que a vítima havia tirado a própria vida no interior de uma cela. Em seguida, a equipe da Polícia Penal se direcionou até o local e avistou o homem enforcado com um simulacro de corda, confeccionado com plástico, amarrado na janela.

De acordo com o delegado responsável pelo inquérito policial, Luís Paulo de Oliveira, no decorrer das investigações apurou-se que, na verdade, a vítima foi morta por um companheiro de cela, o qual era considerado violento e líder daquele recinto. O investigado, antes de tirar a vida do detento, o agrediu com socos e chutes, e o enforcou, utilizando os braços. Além disso, ele teria sufocado a vítima com um saco plástico.

Luís Paulo explicou ainda que o suspeito tentou criar uma situação de autoextermínio no local. “Após ter matado a vítima, ele ateou fogo na cela e simulou a cena do crime como se houvesse ocorrido um suicídio, e não um homicídio”. O delegado também esclarece que a vítima cumpria pena com outros três detentos, dos quais dois não foram indiciados por ausência de elementos probatórios de suas participações no crime.

O delegado regional em Formiga, Tiago Veiga Ludwig, ressaltou o trabalho da equipe. “O investigado já se encontra preso, em cumprimento de pena, e agora foi indiciado por dois crimes – homicídio qualificado e fraude processual, pelo fato de tentar criar um ambiente de suicídio no local em que ele cometeu um homicídio. A rápida elucidação do caso demonstra o compromisso da Polícia Civil com a apuração dos crimes praticados, em especial os crimes violentos”, finalizou.

Fonte: Polícia Civil

Imprimir
Comentários