As constantes especulações sobre uma possível mudança no funcionamento da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG) em seu campus Arcos, fez com que uma comitiva de Arcos, acompanhada pelo deputado Antônio Carlos Arantes/ PSC, fosse até a direção da universidade no Coração Eucarístico, em Belo Horizonte, na segunda-feira (27).
O objetivo da reunião foi saber se a unidade de Arcos terá que fazer adequação de forma a acertar seus problemas de caráter estruturante e se haverá expansão em seus cursos em relação às demandas. A meta é também avaliar a vocação econômica local e regional. A análise dependerá da finalização dos estudos que um grupo de membros do corpo diretivo da PUC-MG realizará. Haverá um diagnóstico de toda a PUC Minas, englobando o campus BH, Poços de Caldas (Sul), Arcos (Centro-Oeste), Serro (Alto Jequitinhonha) e Guanhães (Vale do Rio Doce), além das unidades em BH e na região metropolitana da capital: Contagem, Betim, São Gabriel, Barreiro e Praça da Liberdade.
Não existe nada deliberado sobre os rumores de fechamento a nenhum dos campus hoje existentes. Esta não é uma situação que diz respeito somente a Arcos e sim a toda a estrutura da PUC Minas que acompanhando as mudanças econômicas e globais sempre se faz necessário novos planejamentos e reorganizações, afirmou o professor Carlos Ribas da Secretaria de Planejamento da universidade, que emendou: aguarda-se uma reunião do Conselho Universitário, soberano em suas decisões, estando acima inclusive do próprio reitor Dom Joaquim Giovani Mol Guimarães.
O chefe de gabinete da reitoria, professor Paulo Roberto de Sousa, ressaltou a importância da presença da comitiva de Arcos e ressaltou aos diretores da universidade que esta abertura de conversação será muito válida para se dar sequência aos trabalhos de prospecção para a universidade.
O diretor da universidade, Djalma Carvalho frisou que a PUC Arcos tem em seus 13 anos de atividade um significado especial, tendo em vista que ela foi concebida pela luta e perseverança de dois sonhadores em levar o ensino superior a Arcos: José Maurício de Andrade e Hilda Borges de Andrade.
Já o secretário de Comunicação da PUC Minas, professor Mozair Salomão, ressaltou que não há motivos para uma movimentação negativa. ?Encaminhamos, inclusive, uma nota oficial aos órgãos governamentais e à imprensa de Arcos há dias e ressaltamos a importância da serenidade neste momento para a estabilidade da PUC Arcos?, emendou.
Integraram a comitiva de Arcos, o prefeito Claudenir José de Melo (?Baiano?), o pró-reitor da PUC Arcos, professor Wanderley Chieppe Felippe; a secretária municipal de educação, Dona Alsênia Vidal; o presidente da Associação Comercial e Industrial de Arcos Ivan Fontes; padre Almerindo Barbosa; os vereadores Jamir Leiteiro, Claudinho Despachante e Marlene Rodrigues, o assessor de comunicação da prefeitura Márcio Ferreira e o chefe de gabinete do deputado estadual Antônio Carlos Arantes/PSC. Aliás, o parlamentar reiterou que às vezes é necessário reajustes e readequações, mas que a instituição acadêmica precisa continuar a colaborar na formação de cidadãos e na maior qualificação de mão de obra de Arcos e região.

Imprimir