O Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER/MG) já verificou a situação de conservação de 1.491 edificações presentes nas estradas mineiras. O trabalho é realizado por meio do programa de vistoria de viadutos, pontes e trincheiras, que foi desenvolvido com o objetivo de criar um banco de dados que reúna informações sobre o estado das edificações.
O número representa um percentual com cerca de 80% dos trabalhos concluídos. O programa, iniciado no final de 2008, prevê a inspeção de 1.800 obras, denominadas tecnicamente de ?obras de artes especiais?. Estão sendo investidos cerca de R$ 2,9 milhões e os trabalhos deverão ser concluídos em março de 2011.
De acordo com o diretor-geral do DER/MG, José Elcio Santos Monteze, a partir do trabalho de vistorias, será feito um relatório sobre a situação de cada ponte, viaduto ou trincheira. ?O relatório apontará a necessidade de realização de algum tipo de intervenção, como substituição, restauração, reforço ou manutenção de cada uma delas. Será feito também um registro dos dados coletados, incluindo informações sobre localização, definições geométricas e dados relativos ao projeto, construção e histórico das intervenções realizadas?, explica.

Banco de dados
O diretor geral do DER considera a inspeção e a montagem do banco de dados fundamentais para a manutenção do patrimônio. ?De posse dos dados, podemos programar os reparos permanentes de trincheiras, passarelas, pontes e viadutos, prevenindo o processo de degradação?, afirma.
Outra vantagem do trabalho apontada por Monteze é que o banco de dados favorecerÁ o gerenciamento das atividades. ?Sobretudo no que se refere à programação orçamentária plurianual, o que permitirá a redução dos custos de manutenção?, destaca. Ainda segundo ele, o desenvolvimento de um software para gerenciamento desse banco de dados já está sendo desenvolvido.

Fatores de desgaste
Entre os fatores que mais contribuem para o desgaste das estruturas das obras estão as variações climáticas, principalmente em função do desmatamento, que provocam problemas hidráulicos e, consequentemente, erosões e descalçamentos das estruturas. Também figuram entre as causas o tráfego constante de veículos pesados e a idade avançada das obras.
O levantamento realizado a partir do banco de dados verificará se há infiltrações, a situação dos pilares de sustentação e ferragens. ?O foco do nosso trabalho, sobretudo neste caso, é a prevenção. Nós, do setor público, temos a obrigação constante de fiscalizar com rigor cada obra. Caso sejam detectados problemas nas estruturas as intervenções serão feitas no momento correto e com custos menores?, relata o diretor geral.
Os trabalhos são feitos por meio de uma empresa, licitada para fazer o levantamento da situação dos viadutos, pontes e trincheiras localizadas na malha viária sob jurisdição do DER/MG em todas as regiões do Estado.

Pontes vicinais
Além dos investimentos que foram realizados em pontes e viadutos da malha rodoviária estadual, o governo de Minas está investindo na infraestrutura das estradas vicinais, com a liberação de recursos para a construção de pontes. Os investimentos são realizados por meio de convênios com as prefeituras, e possibilitam a liberação de vigas e lajes pré-moldadas. De 2003 a setembro de 2010, foram construídas mais de mil pontes em municípios mineiros com investimentos de mais de R$ 200 milhões.
Desde junho de 2010, a Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop) também inova com o fornecimento de lajes para a construção dos tabuleiros das pontes (pistas de rolamento por onde os carros trafegam). O diferencial do projeto está na forma em que o tabuleiro é montado, com novo material, que permite redução no tempo de execução da obra em 70% e economia de até 45%. O formato influi, ainda, no número de profissionais necessários para o trabalho, que também é reduzido.

Imprimir
Comentários