Redação Últimas Notícias

Cercado por encostas e cortada por rios, córregos e banhado por lagoas, o município de Formiga possui dezenas de pontos considerados de risco, e onde milhares de pessoas vivem.

Com a chegada do período de chuvas é necessária atenção redobrada de quem vive nesses locais.

De acordo com a chefe da Defesa Civil de Formiga, Vera Moreira, o volume de chuvas neste ano está abaixo da média e nos próximos dias até a primeira semana de novembro estão previstas chuvas, mas de baixa intensidade com milimetragem entre 8 e 20mm.

Porém, construções com fundos para “pé de serra” são áreas de riscos permanente em razão de deslizamentos, independente do período chuvoso. É o caso da rua Expedicionário Jorge Alvarenga, no Sagrado Coração de Jesus.           

                                                                                                                                                                                                                                                                                                  O lado esquerdo da via, sentido bairro/região central, é totalmente tomado por construções que tem como quintal a encosta. Situação que se repete na rua Campos Altos, no bairro Engenho de Serra; no bairro Lajinha onde há casas em cima e abaixo das encostas, rua da Pedreira e toda a Vila Colorida, parte do bairro Rosário, próximo ao cemitério, dentre outros.  

No bairro São Luiz boa parte das residências dá de fundo para encostas de pequeno porte, porém, o solo é em saibro, o que torna a invasão de casas pela lama, pois em sua maioria, não existe muro de contenção.

Monitoramento

Anualmente, a Defesa Civil, em conjunto com engenheiros da Secretaria de Obras do Município e apoio do Corpo de Bombeiros, monitora essas áreas para prevenir, assistir e algumas vezes retirar moradores quando o período chuvoso é com alto índice pluviométrico e os deslizamentos ficam constantes.

Áreas de risco

De acordo com a Defesa Civil, os bairros de maior atenção em resumo são:

-Centro incluindo rua Expedicionário Jorge Alvarenga (Rua do TG)

-Lajinha

– Rosário

-Lagoa do Fundão

-Vila Colorida (Rua da Pedreira)

-Alto da Praia

-Engenho de Serra 

-São Luiz

-Ouro Verde

Nesses locais a Defesa Civil pede cuidados redobrados quando da construção de qualquer origem (casas, prédios, muros de arrimo, etc) com apresentação de Anotação de Responsabilidade Técnica das obras, plantas assinadas por profissionais habilitados no Conselho  Regional de Engenharia (CREA) para garantir a segurança”, alerta Vera Moreira.

A coordenadora ainda explica que os moradores devem estar constantemente atentos, em especial no período de chuvas, a movimentações nos terrenos, como trincas, rebaixamentos, deslizamentos e, no caso de quem vive às margens de rios, ao volume de água que pode subir repentinamente devido a grandes precipitações de chuvas em locais distantes.

A Defesa Civil

A Coordenadoria de Proteção e Defesa Civil de Formiga é composta pela chefe da Defesa Civil, Vera Lúcia Moreira, técnica em Defesa Civil e desastres 2002 a 2020, a Polícia Militar, 5º Pelotão do Corpo de Bombeiros e apoio de atiradores do TG 04-030 que passam pelo curso básico de Defesa Civil. 

O órgão conta ainda com atuações e parcerias constantes da Secretaria de Obras, Secretaria de Gestão Ambiental e Secretaria de Planejamento e Regulação Urbana.

print
Comentários