É grande o número de reclamações sobre a falta de critérios na distribuição de água por parte do SAAE, através de caminhões. O atendimento que em princípio deve atender a hospitais, creches e residências que abriguem doentes ou pessoas com necessidades especiais, inclusive idosos que não podem e nem devem se sujeitar às filas nas poucas minas ou poços artesianos que ainda atendem a população, ao que parece, agora se faz desrespeitando qualquer critério. Ou melhor, tudo indica que ex-prefeitos, outros figurões e até mesmo os funcionários da casa (SAAE) têm merecido prioridade absoluta por parte da autarquia.
Na madrugada de terça feira (23), entre meia noite e 1 hora, pelo menos duas residências de altos funcionários do SAAE receberam, com exclusividade, a visita do caminhão pipa. Quem quiser conferir que procure saber dos moradores das ruas Professor Lulu e Rua Messias Fernandes de Oliveira Neto, ambas no bairro Areias Brancas.
É óbvio que funcionários do SAAE, também pagam pela água e devem ser atendidos. Mas, por que fazê-lo na calada da noite e não atender os vizinhos que também precisavam do precioso líquido?
Ontem, por volta das 13h30 na Rua da Mina Santa (veja foto), a história se repetiu. Só que desta feita, outras duas residências também foram servidas o que, não foi suficiente para aplacar a fúria da vizinhança que morando em rua próxima, também há 10 dias não ouvia o chiar da água escorrendo pelas torneiras.
No bairro Santo Antônio de cima, bairro de ricos, o caminhão por lá está a todo o momento. ?Inclusive ali, na Rua do ex-prefeito, só esta semana, eu já vi o caminhão duas vezes?, reclamou uma moradora indignada.
Realmente a falta de critério é evidente e o que é pior, sem fiscalização. O que se vê no centro da cidade, região mais baixa. São muitas as residências e casas comerciais que gastam a água lavando calçadas e até mesmo a rua.
Tudo bem. A água é hidrometrada e quem paga por ela, deve ter o direito de consumi-la como melhor lhe aprouver, mas, convenhamos, em situação de emergência, o mínimo que se espera da população é bom senso, e isso, ao que parece, não falta só lá na direção da autarquia não.
Detalhe: os funcionários que entregam a água em caminhões do SAAE, do município ou mesmo em caminhões de Arcos e de Campo Belo, apenas cumprem ordens superiores. Eles não são os responsáveis pela escolha ou discriminação. Portanto, paciência e respeito para com eles!

print
Comentários