A escala de racionamento de água que entrou em vigor no dia 17 de setembro, não está sendo cumprida. É isto que afirmam alguns moradores de pelo menos três bairros da cidade: Ouro Negro, de onde partiram boa parte das reclamações, Novo Horizonte e Bela Vista.
Eles afirmam que o fornecimento de água não vem ocorrendo nos dias previstos pela escala e a interrupção no abastecimento tem durado mais de 24 horas.
?Deixaram para racionar água agora que a situação está crítica, e o resultado é que em bairros mais altos como o meu (Ouro Negro), quando se interrompe o fornecimento, demora um tempo bem maior para voltar ao normal?; comentou o proprietário de um pet shop que vem encontrando dificuldades para realizar o trabalho dele, pois precisa de água para dar banho nos animais. Ao entrar em contato com o Portal, ele relatou que já havia telefonado 13 vezes para o número divulgado pela pelo Saae para reclamações e denúncias e que sequer foi atendido. Nossa equipe também tentou falar na autarquia, sem êxito.
A reclamação sobre o cronograma também é feita por donas de casa que reorganizaram a rotina dos lares de acordo com os dias em que, segundo o Saae, o abastecimento ocorreria normalmente. ?Estou me organizando. Gastando ainda menos água para lavar roupa e limpar a casa, mas se não corre água nos dias que deveria, gastamos um pouco mais e quando percebemos não há água nem para o banho ou para fazer comida. Digo gastamos, porque o problema está ocorrendo com a minha vizinhança?, comenta uma moradora no Novo Horizonte.
De acordo com informações da direção do Saae, As áreas citadas estão localizadas em pontos altos da cidade. Nesses pontos, quando é feita a liberação do fornecimento, a água leva tempo até chegar a todas as residências. Em parte, esse problema se deve também à estrutura antiga de distribuição de água. O Saae está atento a todos esses problemas e qualquer mudança na escala de racionamento será amplamente divulgada.

print
Comentários