Duas semanas depois de vencer o jogo de ida por 1 a 0, na Vila Belmiro, o Cruzeiro reencontrará o Santos, no Mineirão, pela partida de volta das quartas de final da Copa do Brasil. As equipes se enfrentarão às 19h30 desta quarta-feira (15), feriado em celebração ao dia de Nossa Senhora da Boa Viagem, padroeira de Belo Horizonte. Como não existe a regra do gol qualificado como visitante, qualquer triunfo santista por um tento de diferença levará a decisão para os pênaltis. Por sua vez, a Raposa se classificará com um simples empate. Quem passar enfrentará Bahia ou Palmeiras nas semifinais.

O histórico celeste na competição mostra que ganhar o jogo de ida como visitante sempre traz boas lembranças. Foram 13 mata-matas com vitórias fora de casa no primeiro confronto. Em todos, o Cruzeiro garantiu a classificação no segundo embate, dentro de seus domínios.

Somente na quarta fase de 2017, ano da conquista do quinto título do torneio, o Cruzeiro teve apuros para avançar. A vitória sobre o São Paulo por 2 a 0, no Morumbi, parecia dar ares de tranquilidade aos mineiros. Porém, os paulistas foram valentes em BH, ganharam por 2 a 1 e criaram chances para fazer até mesmo o terceiro gol. Nos demais duelos, a Raposa contabilizou nove triunfos e três empates em partidas de volta.

É justamente nessa condição de prosseguir na Copa do Brasil com vitória ou empate que o lateral-esquerdo Egídio aposta para confiar no sucesso da equipe. “É ter a mesma atenção que tivemos na Vila Belmiro. Nós entramos ligados, atentos às jogadas e aos pontos fortes deles e conseguimos fazer o gol que nos dá a vantagem de decidir em casa. Uma vitória simples como tivemos na Vila Belmiro nos basta. É sempre bom avançar com vitória, mas, se não ganharmos, não vamos perder. E se não perder, a gente passa”.

Se passar pelo Santos, o Cruzeiro disputará a semifinal da Copa do Brasil pela terceira vez consecutiva, feito até então inédito na história do clube. Em 2016, o Grêmio foi o grande algoz, com vitória no Mineirão, por 2 a 0, e empate na Arena do Grêmio, por 0 a 0. O time celeste deu o troco em 2017: venceu nos pênaltis por 4 a 3, depois de revés em Porto Alegre e vitória em BH pelo mesmo placar: 1 a 0.

As demais semifinais de Copa do Brasil com a presença do Cruzeiro ocorreram em edições alternadas: 1993, 1996, 2000, 2003, 2005 e 2014. Nas quatro primeiras, a equipe levantou o troféu, superando Grêmio, Palmeiras, São Paulo e Flamengo nas decisões.

Se faturar a Copa do Brasil em 2018, o Cruzeiro celebrará o hexacampeonato da competição, ultrapassará o Grêmio na condição de maior vencedor e acumulará R$ 62 milhões em premiação.

(Foto: Vinnicius Silva)

 

 

Imprimir

Fonte:

Super Esportes