Na tarde desta sexta-feira (12), o volante Adilson de 32 anos anunciou, na Cidade do Galo, a aposentadoria precoce do futebol por conta de cardiomiopatia hipertrófica – problema cardíaco que poderia gerar arritmia cardíaca e, eventualmente, morte súbita.

O jogador do Atlético, que estava afastado das atividades com o restante do elenco desde a última semana.

Além dele, nesta sexta, estiveram presentes o cardiologista Haroldo Aleixo, o diretor médico do clube, Rodrigo Lasmar, o diretor de futebol Rui Costa e parte do elenco de jogadores.

Adilson agradeceu ao grupo e ao clube e disse que não detectou nenhum sintoma. “Não preparei nada em especial. Vim aqui agradecer todo o apoio, todo o suporte do departamento médico, do presidente. Agradecer essa rapazeada que está aqui. É isso o que nos fortalece. Eu agradeço todos vocês por tudo o que vocês têm feito. Não só por este momento, mas por tudo o que passamos pelos últimos anos. A relação comigo foi sempre de muito respeito e apoio”, disse o agora ex-jogador, que seguirá no clube.

Adilson se emocionou e foi abraçado pelo lateral Patric. “Minha filha vai nascer agora no dia 22. Tenho muitos motivos para seguir e ser feliz”, disse.

O cardiologista Haroldo Aleixo explicou a doença. “Fizemos uma avaliação na intertemporada que caracterizou uma cardiomiopatia, uma doença cardíaca que o impede de seguir como atleta profissional de futebol”, disse.

Aleixo ainda explicou quais serão os próximos procedimentos. “A partir desse momento, nossos primeiros cuidados foram discutir com outros dois médicos sobre diagnóstico e conduta. Houve uma unanimidade em relação à conduta, definir por abreviar a continuidade da carreira do Adilson como atleta de futebol”, disse.

 

 

IMPRIMIR

Fonte:

Super Esportes