Lucas Coppi

É extremamente comum ver nas etiquetas dos brinquedos a frase “Made in China”, e isso acontece porque o país asiático domina completamente o mercado mundial de produção de itens para recreação infantil: cerca de 75% dos brinquedos e videogames do mundo são produzidos lá.

Com uma oferta gigantesca de brinquedos produzidos dentro do próprio país, é extremamente difícil para empresas estrangeiras obterem sucesso com o público infantil chinês, mas a marca dinamarquesa Lego conseguiu essa façanha e desde 2017 aparece em primeiro lugar nas vendas deste nicho na China, com 4.5% do total do mercado.

A questão cultural e a importância que os pais chineses dão para a educação e a aprendizagem de seus filhos é um dos fatores que explica esse fenômeno. O Lego tem um potencial educativo muito grande e ao mesmo tempo consegue ser facilmente atrativo para as crianças, por conta da variedade de cores e formas e pelo desafio de se construir algo com os bloquinhos. Além disso, oferece a oportunidade de pais e filhos passarem um bom tempo convivendo juntos enquanto montam suas construções.

Ao comprar um brinquedo para os filhos, os pais chineses costumam prezar primeiramente pelo viés educativo que ele pode oferecer e é exatamente por isso que as bonecas como a Barbie são deixadas de lado no país.

Muitos pais as consideram inclusive um item inútil, por não trazer nenhum benefício para o aprendizado das crianças. Para que se tenha uma ideia, a Barbie aparece apenas em trigésimo primeiro na lista das marcas de brinquedo que mais vendem na China.

Outro fator que explica o sucesso do Lego e o fracasso da Barbie é a capacidade de ambas as empresas se adaptarem aos mercados locais. É comum que grandes empresas multinacionais tenham que adaptar os seus produtos para conseguir obter êxito em determinados países, por causa da variedade cultural, e as que conseguem fazer isso do jeito certo tendem a conseguir muito mais lucro.

Enquanto o Lego, ao perceber o seu crescimento na China, investiu em brinquedos personalizados e que refletiam perfeitamente os gostos e hábitos locais, as tentativas da Barbie não funcionaram, justamente por não combinar com a cultura do país de valorizar a educação acima de tudo.

Aqui em nosso país os brinquedos Lego também estão se consolidando cada vez mais. Investindo em novidades constantes, a marca também registra um bom crescimento no mercado nacional.

E se engana quem pensa que apenas as crianças gostam de brincar com eles: existem inúmeras coleções de Lego que agradam pessoas de todas as idades, por conta da complexidade dos desafios e de muitas referências pop existentes nos brinquedos, resultado de grandes parcerias com gigantes do entretenimento mundial, como Harry Potter e Star Wars.

Para operar com sucesso no mercado brasileiro, o Lego adaptou inclusive seus preços, oferecendo coleções mais acessíveis para os momentos de crise, mesmo com a alta taxa de impostos embutidos. Atualmente existem no país 10 lojas físicas do brinquedo, espalhadas em shoppings de grandes cidades.

 

 

Imprimir
Comentários