Em tempos de criminalidade em alta no Estado, Pouso Alegre, no Sul de Minas, foi eleita a cidade do Brasil onde os jovens estão menos expostos à violência. Logo atrás vem Poços de Caldas e Passos, ambas na mesma região e também com baixo risco. Os dados fazem parte do Índice de Vulnerabilidade Juvenil à Violência (IVJ-Violência) de 2010, divulgado nesta terça-feira (19), pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP). Ao todo, 283 municípios do país com mais de 100 mil habitantes foram pesquisados.
Em Pouso Alegre, que tem cerca de 130 mil moradores, a propensão de um adolescente ou jovem se envolver em algum tipo de violência é considerada baixa. Em números, isso significa que, a cada 100 mil habitantes, 0,153 corre esse risco. Para chegar a esse índice, o fórum analisou dados de mortes por homicídio e acidentes de trânsito com o público de 12 a 29 anos, além de frequência na escola e no trabalho e de questões de pobreza e desigualdade.
A pesquisadora do fórum Thandara Santos explica que o baixo número de assassinatos no município contribuiu para a boa colocação no ranking. Em 2010, foram sete homicídios.
A Pior
Entre as 29 cidades mineiras incluídas no ranking, 25 tiveram risco baixo. Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri, teve a pior classificação do Estado, ficando com a 79ª posição. No local, a vulnerabilidade é considerada média-baixa. Segundo Thandara, o que prejudicou o município foi o índice de pobreza, que é de 0,53 – acima da média nacional, 0,41.
Já Belo Horizonte está no 194º lugar no ranking nacional, com vulnerabilidade baixa, e fica em terceiro entre as capitais com o menor risco de exposição à violência. O melhor posicionado na lista das capitais é São Paulo, seguido de Florianópolis. Atrás de Belo Horizonte, vem o Rio de Janeiro.
Segundo a pesquisadora, Belo Horizonte poderia estar melhor posicionada na lista se não fosse o alto índice de desigualdade, que analisa o número de casas em assentamentos precários e de pessoas com mais de 25 anos que tenham menos de 11 anos de escolaridade. A taxa de desigualdade na cidade é de 0,33, o dobro da média nacional, que é 0,15, explicou Thandara.
O estudo avaliou a evolução da vulnerabilidade no país entre 2007 e 2010. Nesse quesito, Betim, na região metropolitana, se destaca entre as dez cidades que mais melhoraram o IVJ no Brasil. O município pulou de 17º no ranking para a 121ª posição. O Rio de Janeiro foi o que mais reduziu a exposição de jovens à violência.

IMPRIMIR