Ainda não começaram a ocorrer as convenções partidárias para a escolha dos candidatos que disputarão cargos nas eleições de 2018. Porém, muitas são as pré-candidaturas anunciadas e apesar da possibilidade de não se confirmarem, várias cidades já estão recebendo visitas de políticos em busca de apoio.

Foi o que ocorreu na manhã desta sexta-feira (16) em Formiga. Em encontro realizado na Câmara Municipal, o deputado federal Rodrigo Pacheco (MDB), falou para um público composto por prefeitos, vereadores, membros do MDB e ocupantes de cargos comissionados da prefeitura local sobre as pretensões dele em ser candidato ao governo de Minas.

O deputado e atual presidente de uma das Comissões mais importantes da Câmara Federal, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) foi ciceroneado pelo prefeito de Formiga, Eugênio Vilela e pelo presidente da Câmara, Evandro Donizeth da Cunha (Piruca).

Após receber as boas vindas da parte do prefeito, que disse que Rodrigo faz parte do “balaio” de bons políticos que existem no país, o deputado falou para um plenário lotado e apesar de iniciar explicando que não estava no local para pedir votos, até por não ser permitido pela Legislação Eleitoral, se apresentou e explicou porque, apesar de Minas Gerais viver umas das piores crises de sua história, estar motivado a assumir, caso vença, como primeiro mandatário do Estado.

O pré-candidato ainda agradeceu o apoio dado pelo prefeito de Formiga na ocasião de sua primeira eleição, em 2014 e ainda afirmou que “aonde Eugênio for, eu vou”, ao falar sobre o apoio à candidatura do vereador José Geraldo da Cunha (Cabo Cunha), a uma vaga na Assembleia Legislativa de Minas Gerais.

Ao tratar das questões que precisam ser solucionadas no Estado, Pacheco disse que, ao seu ver, o maior problema em Minas é a total falta de apoio aos empresários e novos empreendedores, o que dificulta o crescimento econômico, impossibilitando também o desenvolvimento social. “O Estado fiscaliza, oprime e demoniza o sucesso de quem empreende”, comentou.

Durante sua fala, o deputado fez duras críticas ao governo de Fernando Pimentel (PT), que, segundo ele, tem chorado nos últimos três anos, alegando que recebeu o Estado em crise, mas que, diante disso, se acovardou e por total falta de planejamento e gestão, não tem conseguido oferecer o básico ao cidadão. Pacheco criticou ainda, o inchaço da máquina pública e se mostrou contrário à venda de ativos de estatais, mas favorável à realização de parcerias com a iniciativa privada, as PPPs (Parceria Público-Privadas).

O deputado tratou ainda, da polêmica Reforma da Previdência ao receber um pedido do vereador Cabo Cunha para que não votasse a favor da proposta.

Sem dizer se votaria sim ou não, o deputado disse apenas concordar com a necessidade de aprovação de mecanismos de correção das distorções que existem no atual modelo de previdência, mas sem ofender o direito adquirido pelo trabalhador. Pacheco disse ainda, que não acredita que tal proposta será votada e caso seja, será rejeitada.

Eleito em 2014, o deputado sempre pertenceu ao mesmo partido e pretende se candidatar ao governo do Estado pelo mesmo MDB, porém, segundo ele, uma ala do partido flerta com a ideia de se juntarem outra vez ao Partido dos Trabalhadores (PT) para a campanha de reeleição de Pimentel.

O impasse deve ser encerrado em março durante a convenção do MDB, quando Rodrigo também deve decidir se permanece no partido.

Sem dar detalhes sobre como pretende tirar Minas da crise, Rodrigo Pacheco disse apenas que seu plano de governo será inovador como nunca foi feito em Minas.

 

Após sua fala, o deputado foi muito elogiado por várias lideranças políticas presentes. Incluindo o ex-prefeito de Formiga, Juarez Carvalho, o atual prefeito de Arcos, Denilson Teixeira e os vereadores Mauro César, Wilse Marques, José Geraldo da Cunha e Piruca.

Estiveram presentes as seguintes autoridades: Érica Leão, prefeita de Córrego Fundo;  Jaine Cristina Rodrigues Crecêncio- vice-prefeita de Córrego Fundo; Denilson Teixeira, prefeito de Arcos; Ivone Leite, prefeita de Iguatama; Olívio Vieira, prefeito de Bambuí,  Adeberto José de Melo (Deco do Stalo), prefeito de Piumhi, Geraldo de Oliveira Couto (Lalado), vice-prefeito de Pains.

Apenas o vereador de Formiga Sidney Ferreira não esteve presente ao encontro.

IMPRIMIR