Servidores que estão com a dispensa vazia aguardando o pagamento do vale-alimentação precisarão buscar outra alternativa para encher as panelas.

Em reunião realizada no Gabinete Municipal entre membros da administração, do Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Formiga (Sintramfor) e alguns servidores, o prefeito Moacir Ribeiro confirmou a má notícia para desespero dos funcionários públicos, em especial dos que têm no vale um importante e indispensável complemento à renda da família.

E as más notícias não pararam por aí, Moacir avisou ainda, que nos próximos dois dias deverá concluir a lista com os nomes de mais 200 servidores contratados que serão demitidos.

Enquanto ocorria a reunião, do lado de fora, cerca de 30 servidores aguardavam ansiosos pela conclusão da conversa. “Não posso nem pensar em ficar sem o vale, a minha família precisa comer”, comentou uma funcionária da Secretaria de Gestão Ambiental.

“Se deixarem de pagar o Prefeito um mês que seja, quantos vales poderão ser pagos? São R$300 que para nós faz falta demais”, comentou outro funcionário da pasta que garante que até o lanche para quem faz o recolhimento de lixo pela cidade foi cortado.

Dentro do Gabinete, dando poucas chances aos servidores de argumentarem, o prefeito usou a palavra para elencar uma série de problemas que levaram à atual crise. Dentre eles estão: a queda no repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), os sequestros de valores feitos pela Justiça para cobrir tratamentos médicos (compra de remédios) de pessoas sem condições financeiras, a não aprovação da nova Planta de Valores pela Câmara cuja arrecadação anual seria de cerca de R$7 milhões pelo IPTU.

“Não tem dinheiro, não adianta gente, não tem. O vale faz falta para mim também, como faz para todos. Hoje que conseguimos pagar o posto de combustível (R$20 mil) e só tem seis carros da Prefeitura rodando na cidade. Cortei as diárias, incluindo a minha e secretário só viaja em caso de urgência agora. Se faltar remédio eu vou preso e tenho que fazer o repasse da Previfor porque dá improbidade administrativa”, explicou o prefeito sobre a atual situação da cidade.

Moacir informou ainda, que nessa terça-feira, há exatos R$7 mil na conta da Prefeitura e que a situação é esta mesmo, de calamidade. “Estamos fazendo de tudo para garantir, pelo menos, o salário do mês que vem, mas não posso garantir uma data, depende do dinheiro que vai caindo no caixa com os repasses. Sobre o vale, esse mês não tem condições mesmo. Mas não está cortado em definitivo, quando for possível vamos retomar”, avisou o prefeito que disse estar doente por estar vivendo esse momento, tomando calmantes para aguentar a pressão.

Para tentar ajudar, o sindicato propôs se reunir com membros do Ministério Público e Judiciário, pedindo que nos casos de pessoas que buscarem ajuda por causa de medicamentos, a ação seja movida contra o Estado e não contra o município, para evitar a perda de mais dinheiro.

Quem não deve não teme a imprensa

Enquanto reclamava da postura dos vereadores que votaram contra a Planta de Valores, dizendo que os edis só não aprovaram o projeto de lei porque o Prefeito veio de origem humilde da ‘Vila dos Adobos’ (discurso repetido todas as vezes que Moacir tem oportunidade), o prefeito questionou a presença de uma jornalista do portal, perguntando qual veículo de imprensa ela representava. Ao ouvir que se tratava do Nova Imprensa/Últimas Notícias, a jornalista que foi autorizada a entrar, foi convidada a sair do local. “Você não é bem vinda aqui nessa reunião. Pode vir outra hora, mas nessa reunião não quero você aqui não”, disse Moacir.

Mesmo sendo informado de que a entrada ocorreu mediante autorização e convite dos servidores e do presidente do sindicato, Moacir insistiu na saída da profissional de imprensa. O portal era o único veículo de comunicação presente.

 Assembleia Geral

O portal entrou em contato com o presidente do sindicato, Natanael Alves, por volta das 18h30 para saber sobre a conclusão da reunião. Ele explicou que além das informações dadas pelo prefeito quando a equipe do UN ainda estava no Gabinete, ficou definido que nesta quarta-feira (25), a administração enviará uma notificação ao Sintramfor com o cronograma de pagamentos que deve ser seguido no próximo mês. “Esse documento será apresentado nessa quinta-feira (27) em Assembleia Geral dos servidores que ocorrerá às 17h na Câmara. O servidor que decidirá se aceita ou não a proposta”, encerrou Natanael Alves.

sintranfor 4

 Servidores aguardavam a reunião com o prefeito que atrasou mais de meia hora

 

Lorene Pedrosa

Imprimir
Comentários