Após se entregar à polícia às 13h30 desta segunda-feira (11), o prefeito de Paraopeba, Marcelo Uberaba (PT), de 33 anos, alegou legítima defesa.
De acordo com o delegado Francisco Nascimento Júnior, apesar de ter assumido que atirou duas vezes contra a vítima, o político afirmou que seu ato foi decorrente de uma anterior agressão da vítima. Durante depoimento, Marcelo Uberaba disse que foi insultado pelo servidor municipal de 52 anos quando passou de carro na porta da casa dele no último sábado (9). Conforme o político, além de ter proferido palavrões, o servidor municipal também o ameaçou com uma faca.
Mesmo com a confissão, o delegado afirma que o pedido de prisão é quase impossível. Como o prefeito se entregou à polícia e está cooperando com as investigações, é quase improvável que a prisão preventiva seja pedida?, disse Francisco Nascimento Júnior. No entanto, o delegado também afirmou que, caso novos dados sejam descobertos sobre a tentativa de homicídio, a impossibilidade da prisão preventiva será praticamente anulada.
Além da companhia dos pais, o prefeito chegou à delegacia acompanhado de três advogados, que presenciaram todo o depoimento do acusado.
Em relação à motivação da tentativa de homicídio, o prefeito não falou nada sobre a suspeita de que tenha sido motivada por incompatibilidade política entre ele e a vítima.
Ainda de acordo com o delegado, as investigações sobre o ocorrido irão continuar e duas testemunhas devem ser ouvidas ainda nesta semana.
O crime foi filmado por vizinhos da vítima e a gravação da discussão entre os envolvidos foi divulgada à imprensa.

print
Comentários