O objetivo da audiência é pleitear a instalação de uma vara da Justiça Federal em Formiga, visto que foi sancionada no dia 4 de agosto a lei que cria mais 230 varas para o país.
A audiência será às 18h e foi agendada por intermédio do deputado federal Jaime Martins/PR. O vereador Gonçalo Faria/PSB foi convidado por estar acompanhando todo o requerimento de instalação da Justiça Federal, desde 2006, quando ele era o presidente da Câmara Municipal. Já o vereador Cid Corrêa/PR foi convidado por ser do mesmo partido de Jaime Martins, que intermediou a audiência.
Há três anos, Formiga está na fila para conseguir a implantação de uma Vara da Justiça Federal na cidade. Em abril de 2006, uma comitiva formiguense visitou a Seção Judiciária de Minas Gerais para fazer esse pleito. A visita foi feita ao diretor do Foro da Seção Judiciária de Minas Gerais, Ricardo Machado Rabelo, e ao vice-diretor, João Batista. A comitiva foi composta pelo prefeito Aluísio Veloso/PT; pelo então presidente da Câmara Municipal, Gonçalo José de Faria/PSB; pelo então presidente da 16ª Subseção da OAB, Onofre José de Moura; pelo representante da Acif, Thiago Pinheiro Leão; e a representante da CDL, Adriane Alvarenga.
Naquela ocasião, Gonçalo Faria, que era o presidente da Câmara, apresentou um projeto com dados técnicos o qual informava o número de cidades que fariam parte da regional de Formiga, caso o município fosse beneficiado com a Vara da Justiça Federal. Seriam 19 cidades, além de Formiga: Aguanil, Arcos, Bambuí, Campo Belo, Candeias, Capitólio, Córrego Fundo, Cristais, Doresópolis, Guapé, Iguatama, Medeiros, Pains, Pimenta, Piumhi, Santana do Jacaré, São Roque de Minas, Tapiraí e Vargem Bonita. Esse grupo é o mesmo que o Fórum do Trabalho da regional de Formiga atende e que abrange cerca de 310 mil habitantes.

Convocação do prefeito
Nesta quarta-feira (4), o prefeito Aluísio Veloso seria ouvido na Câmara, após ser convocado pelos vereadores, mas a convocação foi adiada para o próximo dia 9 em função da audiência de hoje, em Brasília. Atendendo à convocação, o prefeito dará explicações sobre os 14 itens apontados para o trancamento da pauta de votações e sobre demissões na Globoaves, além dos boatos de fechamento da empresa.
Em nota enviada à Câmara Municipal no dia 25 do mês passado, o superviso administrativo da Globoaves, Gilmar Luis dos Santos, salientou que a empresa não tem apenas um ramo de atividade, mas toda uma linha de produção de aves, suínos, biotecnologia, abatedouros e reflorestamento PCHS, dentre outros ramos e não só pintinhos de um dia.
O supervisor explicou também que a Globoaves não está encerrando suas atividades e nem parou a produção de ovos e sim está expandindo o seu ramo no município, continuando a atender os seus parceiros de Formiga e região, não havendo, portanto, descumprimento da lei que autoriza à doação do terreno da dita empresa . Gilmar dos Santos garante que a empresa mantém o seu quadro de funcionários no município igual ao do ano passado.

print
Comentários