Redação Últimas Notícias 

A falta de infraestrutura que perdura há décadas, em especial em importante via do bairro Mangabeiras, em Formiga, poderá custar caro ao município: a perda de uma empresa instalada na cidade há quase 50 anos. Isto é o que afirma Rogério Nunes Sobrinho, diretor da Transportadora Cabral.

Os problemas causados pela falta de manutenção resultante nas péssimas condições em que se encontram a rua Aloísio Bernardes de Castro, conhecida como rua do Jequitibá, se arrastam há anos e se agravaram desde o final do mandato de Aluísio Veloso em 2012, quando se iniciaram os serviços por meio de uma empreiteira contratada. A atual situação da via impossibilita o tráfego das carretas que compõem a frota da empresa, que nem mesmo conseguem ter acesso ao pátio da Cabral Transportadora.

“Há cinco anos já havíamos tomado a decisão de deixar a cidade. Mudaríamos para Arcos. As questões foram ajustadas à época e resolvemos ficar, mas o problema permanece”, contou o empresário em entrevista ao Últimas Notícias.

A obra de asfaltamento da rua, com o custo estimado em R$352 mil e que deveria ter sido concluída em agosto de 2015, já foi paralisada várias vezes, deixando intransitável a via em toda a sua extensão. Além disso,agora, com as chuvas que ocorreram na segunda quinzena de dezembro de 2017, todo o trabalho feito e refeito (algumas vezes) até então, foi novamente perdido. Além da rede coletora de águas pluviais também a rede de esgoto            que passa por ali, e por onde corre todo o esgoto coletado na região, também foi danificada e, mais uma vez, a população do bairro tem convivido com o mau cheiro exalado pelo esgoto que em alguns pontos corre a céu aberto.

As equipes do Saae constantemente promovem os “remendos” necessários já que a substituição das redes pluviais e de esgoto depende do nivelamento do piso, obra que deverá ser feita pela construtora responsável pela pavimentação, informam os responsáveis pela Secretaria de Obras e Saae.  Esta semana, após as chuvas, ninguém sabe por quais motivos, o destino final do esgoto coletado, ao menos em parte, está tendo como endereço final o pátio da transportadora.

Foto: Reprodução Facebook

Com tantos problemas, a empresa que hoje gera cerca de 70 vagas diretas de empregos na cidade, sem contar os trabalhadores indiretos e as empresas que prestam serviços à mesma, por meio da diretoria informou ao UN que não é mais possível conviver com tantos problemas e que confirmada a licitação para a retomada das obras prometidas há quase uma década, esta será a última chance para que a Cabral permaneça em Formiga. “Se em poucos dias não houver o início das obras e a garantia de que em pouco tempo tudo estará resolvido, nos mudaremos para outro município. Estamos praticamente de malas prontas e sobre isto já conversamos inclusive com nossos funcionários”.

O que diz o município:

Em entrevista ao UN, na terça-feira (2), o prefeito Eugênio Vilela garantiu que se depender da administração municipal, a empresa não sairá da cidade.

O chefe do Executivo deu razão ao empresário e disse conhecer a situação da via em questão. Garantiu que o problema agora será solucionado, uma vez que uma nova licitação foi realizada e o contrato com a empresa que se responsabilizará pelos serviços já foi assinado e a ordem de serviço também foi liberada. “Se não nesta semana, no mais tardar na semana que vem, as obras terão início”, garantiu o prefeito, relembrando que realmente este problema se iniciou em administrações anteriores.

Por razões que fugiram ao seu controle e que resultaram em rescisão de contratos com a empreiteira que iniciou os serviços e a necessidade de atender aos trâmites burocráticos para nova licitação, contratação e anuência do órgão federal de onde se originaram os recursos, só agora, foi possível concluir todo o processo.  Na mesma oportunidade, o prefeito determinou que o Chefe de Gabinete solicitasse ao Saae que de imediato se solucionasse, ainda que de forma provisória, a questão do esgoto a céu aberto.

Imprimir

Comentários