A semana foi de arrependimentos para o prefeito Moacir Ribeiro. Primeiro, ele desistiu de aumentar a tarifa de água para residências, comércio e indústrias em 150%, 165% e 237%, respectivamente. Mesmo assinando o decreto no início do mês, na quinta-feira (20) ele se arrependeu e desistiu da ideia.
Agora, a notícia é de que ele enviou um ofício à Câmara nessa sexta-feira (21) solicitando a retirada de três projetos da pauta de votações, que criariam seis novas secretarias no município.
O projeto de lei 016/2014, que cria a Secretaria de esportes deu entrada no Legislativo no dia 12 de fevereiro. O projeto de lei 22/2014 que criaria as pastas de Política do idoso, Agricultura, Turismo e Eventos e Lazer deu entrada no dia 10 deste mês. Já nesta segunda-feira (17), a Prefeitura enviou ao Executivo, um novo projeto (24/2014) criando a Secretaria de Assuntos Institucionais e Representação.
O objetivo desta última é representar o prefeito frente a órgãos municipais, estaduais e federais.
No projeto que criaria a pasta de Esportes havia ainda propostas para a criação de cargos em secretarias já existentes, incluindo várias adjunções e 30 novos cargos de fiscais.
Ao todo, seriam cerca de 100 novos cargos criados na estrutura administrativa, com impacto considerável na folha de pagamento.
Apenas nos cargos de quatro novas secretarias, relativas ao projeto de lei 22/2014 o gasto seria superior à R$500 mil por ano.
De acordo com um funcionário do primeiro escalão do Executivo, Moacir entendeu que, se a Prefeitura passa por problemas financeiros, não há nada que justifique a criação de seis novas secretarias.
Fato é que esses problemas vêm desde o ano passado, e soa estranho o prefeito perceber só agora que não seria boa ideia onerar ainda mais os cofres da cidade.
Confira o ofício enviado pelo prefeito à Câmara, suspendendo os projetos.

print
Comentários