*Lorene Pedrosa – Da Redação

A administração municipal concluiu ontem, quinta-feira (10), o pagamento de mais 235 servidores (com salários até cerca de R$3.900) e dos inativos ligados à Prefeitura de Formiga.

Na terça-feira (8), 1.582 funcionários que recebem o valor líquido de até R$1.645,00 tiveram seus vencimentos depositados pela Caixa Econômica Federal ao longo do dia.

Segundo informações do Departamento de Comunicação, com as quitações já feitas, restam agora 214 servidores a serem pagos, o que ocorrerá a medida que o Governo do Estado fizer os repasses constitucionais a Formiga.

Desde o início da atual gestão, iniciada em janeiro de 2017, essa será a primeira vez que a administração municipal de Formiga quitará, ao longo do mês, os salários dos servidores.

Em dezembro passado, apesar de o pagamento não ter sido liberado em uma única data, os servidores receberam em dias próximos (7 e 10 – sexta e segunda-feira).

De acordo com a administração municipal, a dívida do Estado com o município, que se arrasta há meses e até o dia 18 de dezembro estava em R$20.293.915,53, tem impossibilitado o município de cumprir integralmente com suas obrigações.

AMM
A Associação Mineira dos Municípios (AMM) informou na terça-feira (8) que o governo de Minas Gerais está retomando o pagamento de recursos aos municípios do estado e que os repasses deste ano já estão em dia.

Segundo a AMM, foram quitados R$171,9 milhões referentes ao Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), R$163,8 milhões relacionados ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Os vencimentos ocorreram entre 2 de janeiro e terça-feira (8).

A associação disse ainda, que os repasses do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) estão sendo feitos diariamente, sem atrasos. Só com esse imposto, já foram pagos R$125 milhões aos municípios desde o dia 1º de janeiro.

Sobre cota do ICMS que venceu na terça-feira, o governo deve repassar cerca de R$46 milhões. O que ainda não ocorreu e vem sendo alvo de críticas por parte da AMM, que teme que, como no governo anterior, recursos pertencentes aos municípios voltem a ser retidos.

Com relação aos repasses que deveriam ter sido feitos pelo governo anterior, segundo levantamento da Associação Mineira de Municípios, ainda estão pendentes cerca de R$12 bilhões.
Com informações do G1

IMPRIMIR