A Prefeitura de Formiga enviou à imprensa, na tarde desta terça-feira (16), informando sobre a falta de medicamentos na Farmácia Municipal.

De acordo com o Executivo, só neste ano, já foram feitos dois grandes pedidos, porém as entregas ainda não foram feitas pelas empresas fornecedoras contratadas pelo Estado e para resolver a situação, a Prefeitura fará um pregão para adquirir os insumos.

“Temos conhecimento do problema e estamos nos esforçando ao máximo para não deixar os usuários sem medicamentos. Já fizemos vários contatos com as empresas contratadas pelo Estado, mas elas não dão nenhuma justificativa do motivo da demora e nem um prazo para que aconteça a entrega. Em contato com o Estado, a situação é a mesma”, comentou a coordenadora da Farmácia Municipal, Lorena Pedrosa Gomes.

O primeiro grande pedido foi feito em março e o segundo, neste mês. Ambos contavam com uma lista de mais de 80 tipos de medicamentos. A coordenadora da Farmácia explica que o prazo de entrega estipulado pelas empresas é de até 30 dias. No entanto, mesmo ao final do tempo estipulado, não foi dada nenhuma resposta. Lorena ressalta que os pagamentos têm sido efetuados normalmente e que são feitos com verbas da União e do Estado, com contrapartida do Município.

Lorena afirma ainda, que o atraso na entrega de medicamentos é um problema que perdura há anos e que vem sendo enfrentado por todos os municípios mineiros. Ela citou o exemplo de um pedido feito em agosto de 2016 que só foi entregue em abril deste ano. “Uma das maiores dificuldades que temos é que, como as empresas são contratadas pelo Estado, não podemos fazer a notificação judicial, procedimento de praxe nesse tipo de situação. E o contato com a secretaria estadual também não tem dado resultados”, disse. Segundo a coordenadora, não são todas as empresas que têm atrasado as entregas.

 

A solução

O secretário municipal de Saúde, José Geraldo Pereira, explica que, para não deixar a população desassistida, a Prefeitura fará a compra dos medicamentos por meio de pregão, marcado para o dia 30 deste mês. Ele disse ainda, que fará uma visita pessoalmente à Secretaria de Estado de Saúde na semana que vem, quando irá notificá-los quanto à demanda do município, a demora das entregas e a falta de informação.

“Não podemos deixar a população sem os medicamentos e não podemos ficar por conta do Estado. Se até o dia 30 os pedidos não forem entregues, serão inclusos no pregão os insumos que estão pendentes”, finalizou o secretário.

Imprimir

Comentários