Além de proibir o consumo de bebidas alcoólicas em bares, restaurantes, lanchonetes e similares a partir da próxima segunda-feira (7), a Prefeitura de Belo Horizonte anunciou nesta sexta-feira (4) a suspensão do licenciamento de eventos gastronômicos, shows e espetáculos. Os pedidos de licenciamento que já estavam em andamento e ainda não haviam sido respondidos pelo município também ficam suspensos.

Apenas apresentações em teatros que possuem alvará vigente e com público sentado estão permitidas, desde que os protocolos sanitários previstos sejam respeitados.

A Prefeitura também proibiu o licenciamento de festas de Réveillon e recomendou a todos os cidadãos que “não realizem e nem participem de eventos e confraternizações de final de ano”.

O município permite apenas o licenciamento de eventos de iluminação e decoração de Natal e caravanas comemorativas, desde que eles não sejam previamente divulgados e não tenham potencial de atração de público.

Segundo o secretário Municipal de Saúde, Jackson Machado, a ideia é “ampliar o rigor no distanciamento social, considerando o relaxamento das pessoas percebido em bares, restaurantes e shows”, mas ainda assim permitir o funcionamento parcial dos estabelecimentos.

“O intuito ainda é preservar ao máximo possível o funcionamento das atividades, mas espera-se que com tais medidas torne-se menos atrativo para a população buscar tais locais para aglomeração e contato intensivo sem o uso de máscara e respeito aos protocolos”, afirmou o secretário.

O que diz a Prefeitura

O cenário da pandemia tem piorado em Belo Horizonte nas últimas semanas. Segundo o Executivo, a taxa de transmissão do coronavírus, que em 26 de outubro era de 0,89, começou a aumentar e permanecer acima de 1,00, o que significa expansão da pandemia no município e nível de alerta amarelo.

“Como consequência direta do aumento da transmissibilidade, a taxa de ocupação de leitos de UTI destinados aos casos de Covid-19 aumentou mais de 50% no último mês. Já os leitos de enfermaria destinados aos casos de Covid-19 aumentaram sua ocupação em mais de 90% no último mês”, informou a prefeitura, em nota.

De acordo com o município, “a rapidez do aumento é um ponto fundamental de preocupação e foi fator decisivo para a medida de restrição tomada.  A ideia é interromper a trajetória de subida dos casos e retomar patamares de ocupação mais seguros para a cidade”.

Fonte: O Tempo Online

Imprimir
Comentários