A Prefeitura de Formiga realizou um teste com o equipamento conhecido como capina elétrica, no domingo (12). O objetivo da administração municipal é estudar a eficácia da máquina, pois caso o resultado seja satisfatório, o município licitará a prestação continuada do serviço.

“A Secretaria Municipal de Gestão Ambiental, por meio de aquisição por compra direta, está fazendo o experimento dessa nova tecnologia. O objetivo é substituir a capina química. Ou seja, queremos implantar algo ambientalmente correto, que também é mais rápido que o trabalho manual. Caso o teste dê certo, vamos abrir licitação para termos o serviço contínuo. O valor que estamos pagando no teste é R$0,45 por metro. Ou seja, é um valor baixo para uma solução eficaz e ambientalmente correta. O resultado aparecerá dentro de cinco a sete dias após a aplicação”, comentou a secretária de Gestão Ambiental, Giovana Borges.

O teste da capina elétrica foi feito em diversas ruas de Formiga e em um lote da Prefeitura, sendo que a máquina percorreu 16 quilômetros.

A capina

Foto: Prefeitura/Divulgação

O agrônomo e diretor da empresa Desinsecta, Gustavo Carvalho, explica que o equipamento foi elaborado em parceria com a Zasso Brasil. As empresas desenvolveram uma tecnologia chamada eletroherb, que consiste na capina por meio de descargas elétricas. “Neste ano, a Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária] proibiu o uso de herbicidas. Isso fez com que a empresa, que elaborou a técnica para a agricultura orgânica, adaptasse o equipamento para o controle das ervas daninhas na área urbana. Fizemos uma parceria para trazer essa máquina para Minas Gerais [a Desinsecta é de Indaiatuba, São Paulo], apresentamos o nosso projeto para a Prefeitura de Formiga e agora estamos aqui para fazer uma demonstração dos resultados que a máquina pode dar”, explicou Gustavo.

“Em termos de aplicação, é bastante simples. São dois polos de eletrodos, com a corrente passando entre eles, sendo aplicados nas laterais da rua, nos meios-fios e nas calçadas. A descarga é feita na planta, que serve de aterramento, então a eletricidade passa para o solo e para o outro eletrodo. Quando a descarga passa pela planta, os vasos e as células estouram, matando assim até a raiz. Isso, inclusive, garante que a planta não rebrote, o que ocorre na capina manual”, comentou o agrônomo.

Locais que receberam a capina elétrica

Rua Alcino Francisco da Silva – bairros Ouro Negro e Souza e Silva

Rua Cataguáses – bairro Souza e Silva

Rua Arlindo de Melo – bairro Souza e Silva

Avenida Abílio Machado – bairro Sagrado Coração de Jesus

Rua Dona Hortência – bairro Sagrado Coração de Jesus

Rua Amazonas – bairro Sagrado Coração de Jesus

Rua Rio de Janeiro – bairro Sagrado Coração de Jesus

Rua Iago Pimentel – bairro Sagrado Coração de Jesus

Rua São Paulo até esquina com a Goiás – bairro Sagrado Coração de Jesus

Rua Francisco Ribeiro da Silva – bairro Sagrado Coração de Jesus

Ruas Alderico Nogueira, Goiás e Francisco Agostinho – bairro Sagrado Coração de Jesus

Avenida Paulo Brito – Centro

Rua Júlio de Oliveira – bairro Quartéis

Rua Leônidas Braga – bairro Quinzinho

Rua 13 de maio – Centro

Rua João Vespúcio – Centro

Rua Álvaro Barbosa – bairro Jardim América

Canteiro da entrada do bairro Serra Verde

Avenida Mauro Leite Praça

Lote da Prefeitura na rua José Francino de Oliveira

IMPRIMIR
Fonte:

Prefeitura de Formiga