Prefeitura quer doar 100 lotes para a Santa Casa

Moacir disse que caso seja necessário, mais lotes serão doados para a Santa Casa: ?Dou mais 30, 40, 50, quanto for preciso para salvar nosso hospital?, disse.

Moacir disse que caso seja necessário, mais lotes serão doados para a Santa Casa: ?Dou mais 30, 40, 50, quanto for preciso para salvar nosso hospital?, disse.

O prefeito de Formiga Moacir Ribeiro, o provedor/interventor da Santa Casa de Formiga, Sidney Ferreira além de alguns membros da administração se reuniram na manhã desta quinta-feira (23), com a imprensa da cidade no Gabinete Municipal. Na oportunidade, o chefe do Executivo informou sobre os seus esforços na busca de solução para os problemas enfrentados pela Santa Casa.
Além de estimular a doação espontânea da população, o prefeito pretende doar para a entidade 100 lotes, 94 deles localizados no Furnas Iate Clube (Fic) e os demais, em área urbana, nos residenciais Parque da Serra e Jardim das Acácias. ?Nós vamos passar esses lotes para a Santa Casa e eles poderão usá-los ou vendê-los como quiserem?, comentou Moacir Ribeiro.
De acordo com o chefe de Gabinete, José Terra de Oliveira Júnior (Terrinha), em janeiro os lotes localizados no Fic passaram por uma avaliação e poderão render cerca de R$3,3 milhões. ?Essa avaliação ocorreu em um período em que o nível das águas do lago estava mais baixo, o que desvaloriza os terrenos, hoje esse valor pode ser superior, apesar dos lotes não ficarem na beira d?água?, explicou Terrinha.
Para a concretização da proposta da Prefeitura, a Câmara deverá aprovar a doação dos lotes, sendo que alguns deles (os seis localizados na área urbana) deverão ser ainda, desafetados. Porém, no ano passado, o Ministério Público recomendou à Câmara, para que se abstivessem de aprovar projetos de desafetação de bens públicos. Isto, segundo o prefeito, poderá dificultar o processo da doação.
Após ser cientificado sobre a decisão da administração municipal, Sidney Ferreira, agradeceu e se disse feliz, como cidadão, pela notícia. ?Eu estou como interventor da Santa Casa a mais tempo que deveria. De início seriam 90 dias e já passam de 120. Não sei se estarei à frente da entidade quando as doações se concretizarem, mas percebo que é uma boa possibilidade de quitação de dívidas, principalmente com fornecedores. Hoje a Santa Casa vem enfrentando dificuldades para a compra de medicamentos e demais insumos por causa dessa dívida?, explicou o provedor/ interventor da entidade.
O projeto de doação deverá ser protocolado no Legislativo, pelo próprio prefeito, na manhã de segunda-feira (27). ?Vai depender da Câmara para doar os lotes e como todos sabem, tem coisas que alguns vereadores que não me apoiam, não aprovam. Por isso preciso que a imprensa e a população me ajudem, para convencê-los a aprovar. Gostaria que a imprensa estivesse lá na Câmara segunda feira, as 9h para acompanhar o momento de entrada do projeto na Casa. Eu irei lá pessoalmente protocolar. Admito que apesar de certa oposição, eu não posso reclamar dos vereadores não, porque eles me deram 50% do orçamento pra eu mudar o que eu precisar e sempre aprovam as dotações que peço?, disse Moacir.
No início da reunião, o prefeito falou sobre a importância da imprensa, reconheceu que algumas vezes há excessos (críticas construtivas e ?desconstrutivas?, segundo ele), teceu longos comentários sobre uma série de obras que pretende concluir em breve ? (Praças Rubens Dalariva, do PEC, Pe. Clemente, quadras que receberam e/ou, ainda receberão coberturas, conclusão das obras da UPA, aquisição de equipamento com os recursos que seriam utilizados na compra do britador, etc).
Moacir revelou ainda, que pretendia utilizar os recursos da venda de lotes municipais na construção do Hospital Regional ou Municipal, mas que, agora, diante da crise a Santa Casa, optou por utilizar tal fonte de recursos para o salvamento do hospital, que atende a micro e macro região. O chefe do Executivo exortou a imprensa a cobrar dos prefeitos da região, ações em favor da Santa Casa, uma vez que as populações destas cidades também dela dependem.
Sobre esta questão, o provedor Sidney Ferreira, em sua fala, lembrou que a obrigação de prover ações de saúde, é do Estado ? leia-se municípios ? e que a Santa. Casa, que é uma entidade privada, está recebendo esse ônus já que, mesmo sendo filantrópica, teria que atender 60% de clientes SUS, mas hoje atende quase 100%, o que a inviabiliza financeiramente.
O prefeito prometeu quitar todo o débito do município para com a entidade de saúde, desde que a Câmara aprove outro projeto que será enviado, versando sobre um adiantamento de royalties que segundo cálculos, deverá ser da ordem de 1,5 milhão.
Ao final, Moacir disse que, se houver sucesso na aplicação dos recursos advindos dos lotes que pretende doar, para a Santa Casa, ele poderá doar muitos outros até que todo o problema seja sanado. ?Dou mais 30, 40, 50, quanto for preciso para salvar nosso hospital?, disse.

Imprimir
Comentários

Sobre o Autor

André Ribeiro

Designer do portal Últimas Notícias, especializado em ricas experiências de interação para a web. Tecnófilo por natureza e apaixonado por design gráfico. É graduado em Bacharelado em Sistemas de Informação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

Prefeitura quer doar 100 lotes para a Santa Casa

Moacir disse que caso seja necessário, mais lotes serão doados para a Santa Casa: “Dou mais 30, 40, 50, quanto for preciso para salvar nosso hospital”, disse.

Moacir disse que caso seja necessário, mais lotes serão doados para a Santa Casa: “Dou mais 30, 40, 50, quanto for preciso para salvar nosso hospital”, disse.

 

O prefeito de Formiga Moacir Ribeiro, o provedor/interventor da Santa Casa de Formiga, Sidney Ferreira além de alguns membros da administração se reuniram na manhã desta quinta-feira (23), com a imprensa da cidade no Gabinete Municipal. Na oportunidade, o chefe do Executivo informou sobre os seus esforços na busca de solução para os problemas enfrentados pela Santa Casa.

Além de estimular a doação espontânea da população, o prefeito pretende doar para a entidade 100 lotes, 94 deles localizados no Furnas Iate Clube (Fic) e os demais, em área urbana, nos residenciais Parque da Serra e Jardim das Acácias. “Nós vamos passar esses lotes para a Santa Casa e eles poderão usá-los ou vendê-los como quiserem”, comentou Moacir Ribeiro.

De acordo com o chefe de Gabinete, José Terra de Oliveira Júnior (Terrinha), em janeiro os lotes localizados no Fic passaram por uma avaliação e poderão render cerca de R$3,3 milhões. “Essa avaliação ocorreu em um período em que o nível das águas do lago estava mais baixo, o que desvaloriza os terrenos, hoje esse valor pode ser superior, apesar dos lotes não ficarem na beira d’água”, explicou Terrinha.

Para a concretização da proposta da Prefeitura, a Câmara deverá aprovar a doação dos lotes, sendo que alguns deles (os seis localizados na área urbana) deverão ser ainda, desafetados. Porém, no ano passado, o Ministério Público recomendou à Câmara, para que se abstivessem de aprovar projetos de desafetação de bens públicos. Isto, segundo o prefeito, poderá dificultar o processo da doação.

Após ser cientificado sobre a decisão da administração municipal, Sidney Ferreira, agradeceu e se disse feliz, como cidadão, pela notícia. “Eu estou como interventor da Santa Casa a mais tempo que deveria. De início seriam 90 dias e já passam de 120. Não sei se estarei à frente da entidade quando as doações se concretizarem, mas percebo que é uma boa possibilidade de quitação de dívidas, principalmente com fornecedores. Hoje a Santa Casa vem enfrentando dificuldades para a compra de medicamentos e demais insumos por causa dessa dívida”, explicou o provedor/ interventor da entidade.

O projeto de doação deverá ser protocolado no Legislativo, pelo próprio prefeito, na manhã de segunda-feira (27). “Vai depender da Câmara para doar os lotes e como todos sabem, tem coisas que alguns vereadores que não me apoiam, não aprovam. Por isso preciso que a imprensa e a população me ajudem, para convencê-los a aprovar. Gostaria que a imprensa estivesse lá na Câmara segunda feira, as 9h para acompanhar o momento de entrada do projeto na Casa. Eu irei lá pessoalmente protocolar. Admito que apesar de certa oposição, eu não posso reclamar dos vereadores não, porque eles me deram 50% do orçamento pra eu mudar o que eu precisar e sempre aprovam as dotações que peço”, disse Moacir.

No início da reunião, o prefeito falou sobre a importância da imprensa, reconheceu que algumas vezes há excessos (críticas construtivas e ‘desconstrutivas’, segundo ele), teceu longos comentários sobre uma série de obras que pretende concluir em breve – (Praças Rubens Dalariva, do PEC, Pe. Clemente, quadras que receberam e/ou, ainda receberão coberturas, conclusão das obras da UPA, aquisição de equipamento com os recursos que seriam utilizados na compra do britador, etc).

Moacir revelou ainda, que pretendia utilizar os recursos da venda de lotes municipais na construção do Hospital Regional ou Municipal, mas que, agora, diante da crise a Santa Casa, optou por utilizar tal fonte de recursos para o salvamento do hospital, que atende a micro e macro região. O chefe do Executivo exortou a imprensa a cobrar dos prefeitos da região, ações em favor da Santa Casa, uma vez que as populações destas cidades também dela dependem.

Sobre esta questão, o provedor Sidney Ferreira, em sua fala, lembrou que a obrigação de prover ações de saúde, é do Estado – leia-se municípios – e que a Santa. Casa, que é uma entidade privada, está recebendo esse ônus já que, mesmo sendo filantrópica, teria que atender 60% de clientes SUS, mas hoje atende quase 100%, o que a inviabiliza financeiramente.

O prefeito prometeu quitar todo o débito do município para com a entidade de saúde, desde que a Câmara aprove outro projeto que será enviado, versando sobre um adiantamento de royalties que segundo cálculos, deverá ser da ordem de 1,5 milhão.

Ao final, Moacir disse que, se houver sucesso na aplicação dos recursos advindos dos lotes que pretende doar, para a Santa Casa, ele poderá doar muitos outros até que todo o problema seja sanado. “Dou mais 30, 40, 50, quanto for preciso para salvar nosso hospital”, disse.

Lorene Pedrosa / Paulo Coelho

Comentários

Sobre o Autor

André Ribeiro

Designer do portal Últimas Notícias, especializado em ricas experiências de interação para a web. Tecnófilo por natureza e apaixonado por design gráfico. É graduado em Bacharelado em Sistemas de Informação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!