Uma verba pública que foi destinada à Associação Regional de Pescadores e Aquicultores (Arpa) foi tema de debate na Câmara Municipal, durante a reunião desta segunda-feira (19).
O presidente da associação, Ettore Dehon Natale, fez uso da ?Tribuna do Povo? e questionou sobre o repasse do governo federal de mais de R$ 100 mil para a construção de uma fábrica de gelo, situada atrás do Centro Vocacional tecnológico (CVT), no bairro São Luís. A obra, que está paralisada, e o local invadido pelo mato, já foram tema de discussão no Legislativo.
Ettore Dehon pediu aos vereadores para que ajudassem a associação a resolver o problema. ?Essa verba do governo federal veio para Formiga já tem mais de dois anos. Nesse período, foi construída a fábrica de gelo em um terreno doado pela Escola Profissionalizante de Alevinocultura e Psicultura (Epap), por meio da Prefeitura?, explicou.
O presidente da associação contou que a criação da associação dos pescadores foi uma sugestão do prefeito Aluísio Veloso/PT, pois havia uma verba para essa finalidade. ?O pessoal da Prefeitura foi quem nos procurou, para não perder a verba?.
Questionado pelo vereador Eugênio Vilela/PV sobre quem fazia a movimentação financeira, Ettore Dehon contou que era a extinta Secretaria de Desenvolvimento Rural e Sustentável que, na época, tinha como secretário Zenaido Lima Fonseca. ?Nas mãos da associação, que foi fundada em novembro de 2008, não passou nenhum centavo e nem prestação de contas?, contou o presidente.
Os vereadores questionaram Ettore Dehon se a movimentação da verba foi feita por pessoas da Prefeitura. O presidente da associação afirmou que sim. ?Nos foi prometido que seria feita uma doação para a associação, gerando empregos para a cidade. Para nós, nunca houve uma prestação de contas não. Acho que deveríamos ter ao menos uma satisfação?.
O vereador Eugênio Vilela disse que ?tinha informações de que pessoas do Ministério da Pesca procuraram saber como estava a fábrica de gelo e foi respondido a eles que estava funcionando às mil maravilhas. Gostaria de solicitar às pessoas remanescentes da extinta Secretaria de Desenvolvimento Rural e Sustentável para dar mais esclarecimentos aqui na Câmara, pois, me parece uma situação grave de dinheiro público que foi colocado em Formiga e o presidente da associação não sabe o que está acontecendo?.
Procurada pelo jornal Nova Imprensa e pelo portal Últimas Notícias, a coordenadora do Departamento de Políticas Rurais, Vitória Ramos, disse que já foi pedida a utilização de sobra de licitação e recursos de aplicação. ?O caso ficou em Brasília por nove meses e foi aprovado. Agora, aguardamos a liberação de suplementação da Câmara Municipal e o deferimento jurídico da Procuradoria?.

print
Comentários