Apesar da queda do América para a Série B do Campeonato Brasileiro, o zagueiro Messias, de 24 anos, fez uma boa temporada e desperta interesse de vários clubes do Brasil e do exterior.

O presidente Marcus Salum sabe do assédio ao defensor, mas acredita que ele não deve deixar o Lanna Drumond neste momento.

O dirigente americano disse, em entrevista ao Superesportes, que a saída de Messias, caso aconteça, deve ficar para o meio do ano de 2019, na próxima janela de transferências para o futebol internacional.

“O Messias tem o seu valor. Se pagarem o valor dele, ele sai. Ele sabe que ele vai disputar o campeonato, ele sabe que hoje não tem nenhuma proposta efetiva. Então, pra mim, é jogador que vai se apresentar e jogar normalmente o ano. No meio do ano, pode ser que, na janela, surja alguma coisa e a gente estude outra vez. Agora, eu vejo pouca chance”, disse o presidente do Coelho.

Salum afirmou, ainda, que só pretende se desfazer de Messias caso o América receba uma boa proposta em dinheiro.

“Um jogador para sair, ele tem que receber uma proposta. E a proposta tem que ser de acordo com o que o clube quer. Messias tem contrato, recebe em dia, tem um bom salário, recebeu luvas. Então, ele tem que cumprir o contrato. Ele não tem nada mais para fazer do que isso. Se aparecer uma proposta que atenda ao América e atenda ao jogador, nós faremos. Agora, o que não pode é subvalorizar o jogador do América porque o América caiu ou porque o América não é um dos maiores times do Brasil”, afirmou o dirigente.

Foto: Alexandre Guzanshe/Estado de Minas

 

IMPRIMIR

Fonte:

Super Esportes