A Polícia Civil informou, nesta quarta-feira (3), que foi aberto um inquérito para investigar o caso em que o presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica dos Afluentes do Alto São Francisco, Dirceu Costa, foi alvo de tiros enquanto fazia trabalho de campo no Rio São Francisco, em Doresópolis, dia 17 de maio.

De acordo com informações do portal G1, Dirceu disse que estava com uma colaboradora do comitê coletando amostras para um trabalho no rio quando teve a embarcação atingidas por dois disparos.

O presidente afirmou que divulgou fotos de animais mortos devido à caça predatória na região o que pode ter sido a causa do crime. Segundo o registro da Polícia Militar, Dirceu disse ter sido informado que seria vítima de uma emboscada.


O crime
Dirceu disse que estava fazendo as coletas no rio São Francisco, próximo ao ponto conhecido como Igrejinha, e chegou a ouvir pessoas conversando dentro da mata.


“Estacionamos a embarcação e escutamos pessoas conversando, mas nem ligamos por que é comum ter gente pescando no local. Ancoramos a embarcação e, quando descemos, ouvimos um barulho muito forte perto da gente. Parecia um meteorito caindo. Em seguida, outro barulho, e acertou a lateral do barco. Neste momento percebemos que se tratava de tiro, e tentamos voltar para dentro do barco”, relembrou.


Ainda segundo ele, ao tentar retornar para a embarcação, com a intenção de fugir do local, eles tiveram dificuldade porque o barco estava preso com uma âncora às margens do rio.


“Começamos a rezar, foi um desespero. Achamos que íamos morrer. Como o barco estava sendo segurado por uma âncora, não tínhamos como ligar os motores, ele não ia sair do lugar. Enquanto isso os disparos continuavam. Eu consegui cortar a corda e, em seguida, liguei o motor e fomos para o meio do rio. Um disparo acertou o casco de baixo para cima, a lataria da ponta. Mas conseguimos escapar. Muito triste isso”, lamentou.


Conforme ocorrência registrada pela Polícia Militar, na data foram realizados rastreamentos na área para localizar possíveis suspeitos, mas ninguém foi encontrado.


Segundo a PM, Dirceu disse ter sido informado que seria vítima de uma emboscada. De acordo com o registro, pescadores e fazendeiros suspeitavam que ele seria o responsável por denúncias relacionadas ao meio ambiente.


A Polícia Civil informou por meio de nota que foi instaurado inquérito para apuração dos fatos e as investigações estão em curso. No entanto, para preservar as apurações em andamento, “outras informações poderão ser repassadas em momento oportuno”.


“Não tenho desavenças”
Segundo Dirceu, desde que assumiu a gestão do Comitê na região, ele tem feito diversos trabalhos e levantado estudos sobre o rio São Francisco e área no entorno.


“Não tenho problema com ninguém. Não tenho desavenças. Mas alguns meses atrás eu divulguei umas fotos de animais mortos devido à caça predatória na região. Talvez o fato tenha incomodado alguns políticos, ou também porque temos trabalhando muito ativamente nas questões do meio ambiente”, concluiu.

Fonte: G1

Imprimir
Comentários