O Portal da Transparência do Governo Federal divulgou nesta segunda-feira (30) as despesas dos cartões corporativos.  De acordo com os dados, neste primeiro ano de governo, o presidente Jair Messias Bolsonaro gastou R$14,9 milhões no cartão de crédito corporativo. Confira os dados no portal.

O valor gasto pelo chefe de Estado foi de R$1,240 milhão por mês, sendo R$41 mil por dia e R$1.708 por hora.  Este é o maior valor registrado pela Presidência desde 2014 e por mais que o presidente não goste de comparações com a ex-presidente Dilma Rousseff, , o fato é que os desembolsos com cartões corporativos voltaram aos patamares da gestão da petista.

O detalhamento destes gastos, como data em que ocorreram, quem recebeu e por qual serviço recebeu não é divulgado.

Em novembro deste ano, o Supremo Tribunal Federal (STF) derrubou um decreto militar de 1967 que amparava a decisão de não divulgar as despesas da Presidência. No entanto, Bolsonaro até então não alterou o procedimento e, como justificativa, o presidente afirma que utiliza outra legislação, a Lei de Acesso à Informação (LAI).

“Sobre o assunto, cabe esclarecer que a legislação utilizada pela Presidência da República para classificar as despesas com grau de sigilo é distinta daquela que foi objeto da decisão do STF”, disse, em nota, a assessoria de comunicação do Palácio do Planalto.  Na lei citada pelo governo, há a justificativa de preservação da “segurança da sociedade ou do Estado” através do sigilo das contas.

Em 2008, quando a ação foi levada ao Supremo, o então presidente Lula estava às voltas com o escândalo dos cartões corporativos. O jornal O Estado de S. Paulo revelou, em janeiro daquele ano, que a União havia registrado aumento de 129% com essa modalidade de gastos, em 2007.

O caso impulsionou a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) no Congresso para investigar possíveis irregularidades no uso do dinheiro público. A equipe de Bolsonaro chegou a cogitar a extinção do cartão, mas desistiu.

O pagamento com cartão corporativo do governo federal foi implementado em 2001, durante o governo Fernando Henrique Cardoso. O cartão corporativo é usado por servidores do governo, incluindo o próprio presidente, com a finalidade de facilitar o pagamento de pequenas despesas ou daquelas que devam ser pagas no ato da compra, como as realizadas durante viagens.

 

Fonte: Com portais de notícias ||
Imprimir
Comentários