O primeiro encontro dos vereadores em uma comunidade foi realizado na Escola Municipal Angelita Gomes Pereira, no bairro Cidade Nova, e contou com a presença da população local, de todos os vereadores e outros cidadãos formiguenses. Representando o Executivo, marcaram presença o secretário de Comunicação, Túlio Fonseca; o secretário adjunto de gabinete, Fernando Porto, e o Ouvidor Municipal, Altair Ribeiro.
Vários moradores fizeram uso da ?Tribuna do Povo? para falar sobre o bairro e reivindicar melhorias. O presidente da associação de moradores, que abrange também os bairros São Cristovão e Coronel Balbino Ribeiro, Eduardo Mendonça Carvalho, apresentou as prioridades dos locais e elas não foram poucas. Também usaram a ?Tribuna? os moradores Marcelo Mourão Elias, Cléber Bolívar, Servos Antônio Freitas e o ex-presidente da associação de bairro, Délio Raimundo Marçal.
Depoimentos e reivindicações
Marcelo Mourão cobrou que poderiam ter mais pessoas na reunião. ?Deveria ter mais gente aqui. Houve uma eleição no bairro e temos uma nova diretoria, espero que façam aquilo que possa ser melhor para o bairro?. O morador ressaltou que o Cemitério Parque da Saudade não deveria ter sido construído naquele local. ?Poderia ter construído ali um comércio, e tem ainda a questão da preservação da nascente, que abastecia vários fazendeiros do Engenho de Serra. A nascente acabou, foi poluída com a construção do Cemitério?, contou.
O presidente da associação de moradores, Eduardo Mendonça Carvalho, destacou a importância do Cidade Nova ser o primeiro bairro a sediar a Câmara Itinerante e as melhorias que os três bairros necessitam. ?Elaboramos um projeto juntamente com a comunidade e levantamos algumas questões que devem ser ouvidas. Na saúde, tivemos um incidente, o médico saiu de férias e não teve ninguém para cobrir essas férias. Pedimos que, em 2011, haja essa cobertura de férias. A cadeira do dentista está contaminada, ela está encostada em um canto. Outro ponto é agilizar o atendimento de consultas médicas, tem ocorrido um atraso de aproximadamente 45 dias. Somos 1.600 pessoas nesses três bairros. Era realizado um exame de sangue rotineiro nas pessoas que têm diabetes, esse exame não tem sido realizado mais. Precisamos também da ampliação e reforma do espaço físico do posto de saúde e adquirir uma cadeira de rodas para deficientes físicos. Aumentar o número de vagas de urgência na saúde. Atualmente, temos quatro vagas e, pela quantidade de pessoas necessitadas, esse é um número muito reduzido?, explicou.
De acordo com Eduardo Mendonça, a população necessita de um estagiário para auxiliar os alunos com o manuseio dos computadores no Centro Tecnológico. ?Desde quinta-feira passada (5), nós não temos mais professor aqui na escola. Outro item é promover palestra e eventos que promovam a leitura, é preciso que a comunidade seja incentivada a ler. Que a Secretaria de Educação possa auxiliar nossa comunidade, promovendo a leitura e a cidadania?.
Eduardo Mendonça destacou ainda o transporte na comunidade. ?Necessitamos no período da manhã de transporte de deficientes para a Apae [Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais]. No período da tarde, temos o ônibus que faz esse trajeto, mas, pela parte da manhã, temos três alunos que não têm meios de se locomoverem até a escola. Necessitamos ainda de melhorias no horário de coletivos que atendem esses três bairros?, cobrou o presidente da associação.
O presidente da associação de bairro fez outras reivindicações para os três bairros, como uma praça no bairro Balbino Ribeiro; calçamento naquela região; abertura de uma estrada entre os três bairros e o Ouro Negro; conserto da rede de esgoto no São Cristovão; muro na parte esquerda do Cemitério; construção de uma caixa d?água no bairro Balbino Ribeiro; construção de uma creche; incentivo da Secretaria de Educação e Esportes no local e material esportivo; quadra de peteca, um calçadão que ligue os três bairros ao Engenho de Serra, e um aparelho de glicemia.
Na área da segurança, foi destacado que, pelo índice de criminalidade, a comunidade necessita da construção de um posto policial e melhor patrulhamento no bairro.
Cléber Bolívar, também morador do bairro, destacou a importância da Câmara Itinerante. ?O bairro Cidade Nova foi privilegiado com essa primeira reunião, pois os anseios da comunidade são enormes, o nosso tempo aqui é curto e são tantos os problemas que a população quer trazer para a Câmara?.
Servos Antônio Freitas disse que ?o bairro tem pouca voz em Formiga?. ?É preciso que faça e faça, não só falam, falar sempre o político fala. É melhor que venha e faça e não divulgue tanto, do que divulgar muito e não fazer nada. É preciso que olhem pela praça e pela quadra aqui no nosso bairro, que é esquecido sim pela maioria, nós queremos sim sermos lembrados. Precisamos que o prefeito venha mais vezes aqui, ele não vai perder seu tempo e sim ganhar. Também não é só cobrança não, tem muitas coisas boas aqui no bairro, estamos pleiteando uma rádio comunitária, aqui será a sede?, comentou.
O ex presidente da associação, Délio Raimundo Marçal, destacou que a realização da Câmara Itinerante foi uma oportunidade muito boa para a comunidade. ?Muitas pessoas queriam participar das reuniões da Câmara, mas não têm como irem até a Câmara. Eu cansei de reunir com secretários e entregar ofícios. Muita das vezes, o problema não é com o prefeito não e sim com secretários, já fui recebido muito mal por secretários. Houve melhorias no bairro, tenho quase certeza que foi por causa dessa reunião, a praça aqui ficou quase quatro meses no escuro?, contou.
Vereadores reiteram pedidos
Os vereadores debateram com os presentes as questões que necessitam de melhorias no bairro Cidade Nova. Reginaldo Henrique dos Santos (Dr. Reginaldo/PCdoB) ressaltou que o mais cobrado foi a questão da saúde. ?Realmente tem muita coisa a ser revista e avaliada na saúde em Formiga. Aqui ,no bairro, tem 1.600 pessoas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda um médico para cada 1mil habitantes. Para ter um atendimento básico e descente, precisaria de um revezamento de dois médicos por semana. É inadmissível o que foi colocado aqui, cadeira contaminada, espaço físico pequeno, problemas com exames. As outras questões são básicas e plenamente possíveis de serem atendidas. É muito mais fácil termos a Câmara Itinerante, chegarmos até vocês, para que nós, lá na Câmara, olhemos o orçamento, verifiquemos aonde vai se aplicar, porque o ?cabo de guerra? que existe para ter essas demandas aqui é orçamentária?, disse o vereador.
Cid Côrrea/PR ressaltou que os problemas apresentados referentes à saúde são visíveis. ?Temos uma má gestão na Saúde. A saúde tem sim concerto, desde que tenha uma boa administração. Era preciso que a secretária andasse pelos bairros e fizesse reuniões com os próprios funcionários, iria levantar todos esses problemas. Temos ?batido? muito nessa questão, se não me engano, é até mais de 45 dias para conseguir uma consulta. Infelizmente, pedidos de alguns vereadores na Secretaria de Saúde, eles engavetam, eles não lêem, isso é uma certa perseguição. É preciso que o prefeito e os secretários andem mais pelos bairros?. O vereador disse ainda durante a reunião que, após o período eleitoral, será inaugurada a cobertura metálica da quadra poliesportiva do bairro.
O presidente do bairro se pronunciou por duas vezes e ainda não conseguiu apresentar todos os pedidos do bairro, tamanha era a lista de reivindicações. O vereador Moacir Ribeiro/PMDB sugeriu que algum pedido que não fosse feito durante a reunião, que fosse entregue a algum dos vereadores, para que a Câmara Municipal encaminhasse ao Executivo e foi o mais realista entre os edis. ?Acho que não devemos vir aqui e vender ilusão não. Ninguém na Câmara está satisfeito com a Secretaria de Saúde não, mas ela é cargo de confiança do prefeito. Ninguém fala as coisas boas, como exemplo a Globoaves aqui no bairro?.
A voz do Executivo no bairro
O secretário de Comunicação, Túlio Fonseca, também fez uso da ?Tribuna? e defendeu o posicionamento do Executivo. Ele ressaltou que, quem mora no bairro é que sabe o que é prioridade no local. ?Eu queria também que a população fosse à Prefeitura para trabalharmos em conjunto. Realmente, existem todos esses problemas na comunidade, agora, alguém aqui consegue imaginar que o prefeito Aluísio Veloso não conheça algum desses problemas? Acho que é hora de parar com a brincadeira, ele sabe, pois ele é prefeito da cidade. O problema da saúde é no Brasil inteiro, vivemos em um país pobre. É preciso eleger prioridades?, disse Túlio Fonseca.
O secretário adjunto de Gabinete, Fernando Porto, também falou à comunidade. Ele justificou que o prefeito Aluísio Veloso não compareceu à reunião porque ficou preparando os documentos de um projeto para uma reunião que teria na terça-feira (10) com o presidente Lula, em visita do presidente a Divinópolis. ?Realmente é preciso inverter as prioridades no município. Em relação ao estagiário para a escola no bairro, o pedido já foi feito ao Unifor-MG, ainda não tivemos uma resposta de quem será. Gostaríamos que fosse um morador aqui do bairro, de preferência. Na questão do médico, a Luísa [Luísa Flora, secretária de Saúde]só me repassou que realmente ficou um mês sem o médico [por causa das férias dele] e que o ano que vem isso não acontece mais?.
As reuniões da Câmara Itinerante ocorrerão uma vez ao mês. O próximo encontro acontecerá provavelmente na comunidade rural de Timburé, onde o presidente da Câmara, Edmar Ferreira/PT, já fez uma visita na semana passada.

print
Comentários