Ela foi “execrada” em um passado recente. Hoje, é vista como a salvação dentro do mesmo clube. Menosprezada pelo presidente do Galo, Sérgio Sette Câmara, a Copa Sul-Americana era classificada, em 2018, como um “problema” a um time que, na visão de seu mandatário, brigaria pelo título brasileiro, algo que não aconteceu.

Um cenário antagônico se desenhou para esta temporada: a Série A vem sendo a “dor de cabeça” da vez, enquanto o duelo desta quinta-feira (26), às 21h30, contra o Colón, no estádio Mineirão, é rotulado como o “mais importante” da atual gestão, do técnico Rodrigo Santana e deste elenco tão questionado no dia a dia.

Só que essa tal solução de agora tem sido questionada. Isso porque o Atlético entrou numa espiral de derrotas na Série A do Nacional e não consegue sair dela. Já são seis reveses consecutivos, o que tem deixado o torcedor irritado. “O torcedor está p***, e nós também”, afirmou Rodrigo Santana, visivelmente preocupado com a campanha do time e sua própria situação à frente da equipe, décima colocada do campeonato, estacionada com 27 pontos.

Um fato negativo, além da irregularidade neste Brasileirão, é que a série de derrotas influenciou no revés do confronto de ida das semifinais da Copa Sul-Americana. A confiança de outrora foi perdida no meio do caminho, o time se tornou previsível taticamente, muitos jogadores caíram demais de rendimento, e o técnico Rodrigo Santana enfrenta dificuldades de armar sua equipe num sistema equilibrado na defesa e agressivo em seu ataque.

O embate perante o Colón é visto como a solução sob várias perspectivas: carimbaria o passaporte para Assunção, onde será realizada a final da Sul-Americana, no dia 9 de novembro; recolocaria o alvinegro no caminho das vitórias; daria o gás que o Galo tanto precisa para começar uma volta por cima no Brasileirão; seria a “sobrevida” a Santana, que pode, inclusive, ser demitido em caso de uma eliminação; pode iniciar a reconquista da confiança do time junto à torcida.

Campanha

Até agora, o Atlético fez sete partidas pela Copa Sul-Americana. Foram cinco vitórias e duas derrotas. O Galo eliminou o La Calera, do Chile, na segunda fase (o Atlético entrou direto nessa fase), o Botafogo, nas oitavas de final, e o La Equidad, da Colômbia, nas quartas. Se passar para a final, enfrentará o vencedor entre Del Valle e Corinthians.

 

Fonte: Hoje em Dia ||
Imprimir
Comentários