Um terreno de propriedade do município, localizado na rua Lassance Cunha, no bairro Quinzinho, no princípio do residencial Jardim das Acácias, tem causado problemas na construção localizada no terreno ao lado.

Por meio das fotos, é possível perceber o desnível do lote que é cheio de rachaduras e está tomado por lixo e restos de material de construção. Segundo o proprietário da construção, Patrick Júnior Eufrásio Teles, terra e restos desse material frequentemente descem do terreno da Prefeitura, se acumulando no terreno dele, causando acúmulo em uma das paredes e solapamento da base da casa. “Meu temor é que com a chegada do período das chuvas, que está próximo, esse volume de material aumente e comprometa de vez a estrutura da minha casa”, comentou.

Patrick afirma que já entrou em contato com a administração por diversas vezes, em especial com o secretário adjunto de Obras, Raimundo José Barbosa. “Ele chegou a dizer que a obra para a Prefeitura ficaria caríssima, pois é necessário nivelar o terreno, gramar para impedir que se desça a terra e instalar uma boca de lobo. Então o Raimundo me falou que veria a possibilidade de me doarem o terreno, mas tudo não passou de conversa”, comentou.

Há cinco meses o proprietário do terreno aguarda soluções enquanto prossegue com a obra.

No dia 1º de agosto, o secretário de Obras, Guilherme Lara e o adjunto da pasta estiveram na Câmara e o problema foi abordado pelo vereador Mauro César Alves de Souza. Em resposta, foi feito o compromisso de que um engenheiro da Prefeitura visitaria o local para indicar uma solução. “Um mês já passou e ninguém esteve lá. As chuvas estão aí, preciso de um posicionamento. Eu investi pesado na base da minha casa e agora vejo a possibilidade de perder meu investimento. Isso não pode ficar assim”, encerrou Patrick.

Ouvindo a Prefeitura

Na terça-feira (30), o jornal entrou em contato com a administração, por meio da Secretaria de Comunicação, que informou na quarta-feira (31), que “Membros das secretarias de Obras e de Planejamento farão uma visita, em conjunto, ao local nos próximos dias para verificar a situação e definir o que será feito”.

Imprimir

Comentários