A Secretaria de Estado de Educação (SEE) confirmou, na tarde dessa segunda-feira (20), que a professora do quinto ano da Escola Estadual José Ferreira Maia em Timóteo, no Vale do Aço, realmente teve um comportamento inadequado ao castigar seus alunos por não fazerem uma atividade que ela havia solicitado. Agora, a Secretaria vai abrir, nesta terça-feira (21), um processo administrativo para decidir o futuro da funcionária.
Segundo a SEE, foi instaurada uma sindicância, nesta quinta-feira (16), para investigar um vídeo no qual os estudantes aparecem ajoelhados enquanto a educadora xinga os menores. Três inspetores ouviram a mulher, os alunos, os pais, além de demais funcionários da instituição. A educadora assumiu a autoria do ato.
Depois de finalizada a apuração, os técnicos redigiram um documento afirmando que a mulher realmente teve uma conduta inadequada, porém, foi a primeira vez que ela teria tido esse tipo de atitude.
Processo administrativo – A professora, juntamente com seu advogado, terá, a partir desta terça-feira (21), cinco dias para preparar sua defesa. Três profissionais, também nomeados pela Secretaria, comandarão uma sessão em que a mulher terá o direito de defesa. Depois, no máximo em 30 dias, o trio vai recomendar uma penalidade adequada. No entanto, quem dará o veredito final será a secretária de educação de Minas Gerais, Ana Lúcia Gazzola.
Afastamento – A educadora está afastada de suas funções desde quinta-feira (16). Contudo, esse afastamento teve como motivação um atestado médico e não uma punição. Ela ficará fora da escola até a próxima quinta-feira (23). A SEE não soube dizer o motivo alegado pelo médico para afastar a servidora.
De acordo com a SEE, desde o distanciamento da profissional, outro professor está ministrando as aulas. A expectativa é que, até que saia o resultado definitivo das investigações, a servidora não volte a lecionar. Porém, ela continuará trabalhando em outra função. Esse caso está sendo analisado em regime de urgência pela SEE devido a gravidade da denúncia.
A reportagem do Tempo tentou conversar com representantes da escola, todavia, até o momento, ninguém foi encontrado para prestar esclarecimentos.

print
Comentários