Por Paulo Coelho

Com o envio do projeto de Lei Complementar nº 21/2018 à Câmara e sua devida aprovação pelos membros do Legislativo, nesta semana, o município corrigiu e sanou o problema gerado com o “desvio de função” resultante da nomeação de um engenheiro que presta serviços à Secretaria de Obras, porém, lotado na Secretaria de Administração, no cargo de recrutamento amplo, como assessor de recursos humanos.

Em razão da demora na obtenção da resposta aos questionamentos feitos junto à secretaria de Administração, o Últimas Notícias recorreu à Secretaria de Comunicação que enviou a seguinte nota:

“Em relação ao funcionário que foi nomeado na Secretaria de Administração e trabalha na Secretaria de Obras:

A Secretaria de Obras contava com três cargos de assessores de engenharia. Porém, a pasta precisava de mais um cargo de assessor de engenharia devido às obras que estão programadas para serem feitas em Formiga. Como não havia a vaga, o profissional foi nomeado como assessor de Recursos Humanos, mas foi prestar serviços na Secretaria de Obras. Para criar a vaga que estava sendo necessária, a Prefeitura encaminhou um projeto de lei para a Câmara Municipal, que foi aprovado, criando a nova vaga e extinguindo o cargo de assessor de Recursos Humanos”.

O secretário de Administração, Waltercides Montijo (Foto: Últimas Notícias/Arquivo)

Sobre o número de exonerações havidas durante o mês de março, quando circulou a informação oficial de que haveria cortes no quadro em razão de o município haver estourado o limite prudencial, que fixa os gastos com pessoal e como forma de se conter gastos, o UN recebeu a seguinte nota:

“Em relação ao número de funcionários demitidos:

Em contato com o secretário, Waltercides Montijo, como as demissões ocorreram em várias secretarias, está sendo feito um levantamento criterioso em cada pasta do número das demissões para depois ser divulgado o número total. Na semana que vem, ele divulgará o número total das demissões”.

 

Imprimir
Comentários